No Brasil, o turismo teve seu marco inicial com a criação da sociedade brasileira e turismo, e 1923, que depois se tornaria o Touring Club do Brasil.
Os primeiros grandes hotéis brasileiros foram erguidos por imigrantes, que viam na nova terra boas possibilidades de sucesso.

Restaurante lugar onde se restaura, se fortalece em 1765, um Sr. Chamado Boulanger inaugura o 1º restaurante de Paris



Que tal um jantar num lugar diferente?

Restaurante submarino em Israel: Trata-se do Red Sea Star, instalado no meio de um jardim de corais a 6 metros de profundidade e a 90 metros da margem da Baía de Eliat, no Mar Vermelho.

TIPOS DE SERVIÇO

A INGLESA DIRETA
AMERICANO
A INGLESA INDIRETA
A FRANCESA
TRAVESSAS
SELF-SERVICE
BANQUETE
COQUETEL
BRUNCH
COFFEE-BREAK
CAFÉ DA MANHÃ
BAR

SERVIÇO A INGLESA DIRETA

No sistema de servir “A INGLESA DIRETA”
o garçom serve o alimento da travessa para o prato colocado na frente do cliente.
É um um tipo de serviço, utilizado em restaurante finos.
Exige pessoal bem treinado e especializado na técnica do trabalho
Este modo de servir é denominado no Brasil “serviço a francesa” adotamos a denominação “A INGLESA DIRETA” por ser a mais utilizada e, portanto, a mais conhecida.

SERVIÇO AMERICANO (BUFFET)

O serviço “AMERICANO” pode ser empregado em qualquer ambiente, atendendo grande número de clientes sem necessitar de local muito espaçoso.

Consiste na montagem de um “buffet” onde são arrumadas as iguarias frias e quente.
Em cada um dos lados da mesa, coloca-se mesas menores onde são colocados pratos, talheres, guardanapo, pães, etc.
O cliente vai ate o “buffet” pega os utensílios e faz seu prato e comem em pé, mas deverá haver algumas mesas arrumadas para acomodar as pessoas mais idosas.

SERVIÇO A INGLESA INDIRETA
(GUÉRIDON)

Este tipo de servir caracteriza-se pela colocação da mesa auxiliar “guéridon” próximo à mesa do cliente, sobre o qual o garçom faz o prato, permitindo ao cliente apreciar a execução do trabalho.
É o serviço que melhor permite trinchar aves, repartir omeletes e preparar pratos a frente do cliente.
Este tipo de servir é praticado em menor número de restaurante, mas, o atendimento é feito com maior requinte.
SERVIÇO A FRANCESA
(DIPLOMATA)

Neste modo de servir, o garçom traz a travessa com os alimentos, apresenta-se pelo lado direito do primeiro cliente a ser servido e aproxima-a do prato do cliente de modo que este possa pegar o garfo e a colher da travessa e servir-se.

SERVIÇO DE TRAVESSAS

Também conhecido no Brasil com as denominações “table d”Hôte” ou completo.
Neste modo de servir, o garçom traz as travessas e os talheres, coloca as travessas
sobre a mesa e dispõe talheres em cada uma delas. O próprio cliente as serve.

SELF-SERVICE (BUFFET)

O cliente dirigi-se ate o “buffet” faz seu prato vai ate a mesa que já esta arrumada com talheres e copos.

O garçom tira o pedido da bebida e faz e retirada dos pratos já usados

BANQUETE

O banquete tem um caráter mais solene e normalmente envolve um grande número de autoridades, sendo muito utilizado para recepção em visitas oficiais, posse ou homenagens.
Também pode ser realizado no restaurante, mas deve haver um cuidado especial com a decoração do ambiente.

COQUETEL
Um coquetel é usualmente um encontro social comemorativo, onde os convidados ficam em pé e com possibilidade de circular pelo ambiente, enquanto que o serviço de alimentação e bebidas é realizado pelos garçons.
Pode ser realizado no restaurante, assim como na beira da piscina.

BRUNCH

Brunch é a união de breakfast, e lunch,. O brunch reúne as duas refeições, sendo servido no meio do dia. É utilizado com mais freqüência para comemorações ou reuniões de empresas.
Pode ser realizado no restaurante, ou se for uma ocasião festiva na piscina também é um ambiente descontraído e interessante.

COFFEE-BREAK

Coffee-break é o intervalo para o café em um evento.
É um momento para descanso dos participantes que aproveitam para fazer contatos.
Deve ser montado próximo à sala onde está acontecendo o evento.

Café-da-Manhã

É muito utilizado para encontros empresariais ou profissionais, para uma reunião que aproveite o horário da refeição visando não atrapalhar as demais tarefas do dia dos participantes.
Pode ser realizado no restaurante do hotel.

À LA CARTE

À La Carte não deve ser confundido com o Menu.
É um cardápio previamente escolhido, refeição completa.

Onde os clientes já sabem o que vão receber, pequena carta contendo as bebidas que serão servidas, a entrada, o prato principal e a sobremesa, serviço usado em banquetes, casamentos e jantares diplomáticos.

O cliente ou convidado não tem opção de escolher outros pratos.
Atualmente alguns restaurantes usam o serviço à la carte para definir o próprio cardápio.
Algumas regra básica no restaurante

Saiba como escolher o restaurante
certo para cada ocasião e como portar-se para tornar o programa um encontro agradável
O que poderia ser um programa gostoso ou uma reunião de negócios pode virar um terrível pesadelo: a visita a um restaurante.
Para que isso não aconteça, é bom estar atento a alguns detalhes.

Maquiagem - É expressamente proibido o retoque da maquiagem à mesa: nem o ingênuo batom foi absolvido desta regra básica.
O banheiro existe para isso.
Banheiro - Falando nisso... também é proibido a excursão de um grupo de mulheres ao banheiro.

Fumantes - O cheiro do cigarro interfere e muito no sabor do prato.
Por isso, existem áreas de fumantes e não-fumantes. Não insista em abrir exceções.
Cachimbos e charutos não são permitidos nem na área de fumantes.

Regimes - Pessoas que estão em regime alimentar não devem deixar de fazer o pedido, pelo menos para acompanhar o outro.
Evite deixar o maitre explicar incansavelmente o cardápio e, no fim, optar pela famosa saladinha.
Assuntos Proibidos - Qualquer que seja o assunto, deve ser conversado em voz baixa. Isto torna o ambiente mais agradável e tranqüilo.

No restaurante, as pessoas se acomodam da mesma maneira que em um jantar em residência.
A mulher fica voltada para o ambiente.
Ela nunca puxa a cadeira, cabendo esta tarefa ao garçom ou ao seu companheiro, caso o primeiro não o faça.
O homem senta-se em cadeiras junto ao corredor.

Toda vez que a mulher se levantar da mesa, o homem também deve fazê-lo (ou fazer menção de). Ao retornar, ele procede da mesma forma.
Todos as ordens desde o pedido até a solicitação de substituição de um guardanapo devem sempre ser dadas pelo homem da mesa.
Se houver dúvida sobre algum prato consulte o maitre.

A conta deve ser solicitada pelo homem, deve ser conferida discreta e rapidamente, sem passar de mão em mão.
Mesmo que não seja comum, não há problema algum em dividir a conta, desde que não cause constrangimento.

Os cumprimentos à mesa de refeições serão verbais, nunca físicos. Estender a mão para alguém que esteja à mesa é indelicado, "tapinhas" nas costas, então, nem pensar.
Em grupos maiores, para evitar o tumulto até a mesa, o assunto deve ser interrompido até que todos estejam acomodados.

As mulheres só se levantam para pessoas ilustres, religiosos e pessoas mais velhas. Os homens poderão (e deverão) ceder ou providenciar um assento para uma pessoa que compuser a mesa de última hora.

 Drinks

 

OASIS

1 Medida de Vodka
1/2 Medida de Licor de Cherry
1/4 Medida de Suco de Limão
3 Medidas de Suco de Melancia
Coloque cubos de gelo no copo alto.
 Decore com uma fatia de laranja e cereja.
 
 
TORNADO
1 Medida de Whisky
1 Medida de Gin
1 Medida de Menta
Suco de 2 limões
 Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.
Agite bem e coloque em copo alto.
 Decora com folhas de menta
 
 
HURACAN
2 Medidas de Whisky
Suco de 1/2 Limão
Suco de 1/2 Laranja
Coloque 3 cubois de gelo em copo alto.
Misture com uma colher misturadora e
Decore com kiwi e limão.
 
ADELITA
3 Medidas de Tequila
1/2 Medida de Kahlua
Suco de 1/4 de Limão
 Coloque os ingredientes numa
 coqueteleira, misture bem.
 
 
PELUSA
2 Medidas de Vodka
2 Medidas de Suco de maracujá
1/2 Medida de Curacao
Misture na coqueteleira com gelo.
 Agite bem e coloque em um copo alto
decore com uma fatia de laranja.
 
 
VODKATINI
2 1/2 Medidas de Vodka
1/2 Medida de Vermut Seco
Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.
 Agite bem. Coloque numa taça para coquetel.
 Decore com uma rodela de limão.
 
 
MOJACAR
3 Medidas de Whisky
1/2 Medida de Grand Marnier Rouge
1/2 Medida de Cinzano
1/2 Medida de Cointreau
Coloque os ingredientes em um copo misturador.
 Sirva em taça de coquetel com gelo.

 

PRESIDENTE
1 1/2 Medidas de Rum Branco
1/4 Medida de Suco de Laranja
1/4 Medida de Grenadine
Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.Agite bem e coloque em copo alto. Decore com uma rodela de limão
 
 
SERPENTINAS
1/2 Medida de Rum Branco   
1/4 Medida de Curacao Azul
1/2 Medida de Suco de Laranja
1/4 Medida de Suco de Limão
Gelo
Coloque no copo de vinho todos os ingredientes. Decore com uma folha de hortelã e uma
 
 
MEXICANA
3/4 Medida de Tequila
1/2 Medida de Suco de Limão
1/8 Medida de Suco de Piña
1/8 Medida de Grenadine
Misture os ingredientes na coqueteleirta com gelo
Decore a borda do copo com uma estrela decorada de limão.
 
 
GUACANO
Gelo Picado
1 Medida de Rum Branco
1/2 Medida de Curacao Azul
1/2 Medida de Suco de Piña
 Coloque os ingredientes numa taça de champagne . Decore a gosto.
 
 
MEXICOLA
1 Medida de Tequila
Suco de 1/2 Limão
Coca-Cola
Coloque os ingredientes em um copo long
com cubos de gelo.Complete com Coca-Cola.

                                   

Como ser um barman

Aqui procuraremos responder uma grande questão que aflige muitos de nós: Como ser um bom barman? Antes de mais nada, é preciso talento. Algumas pessoas nascem com isso, outras não. É claro, qualquer um pode treinar, mas alguém que não tenha o Dom jamais chegará no nível de quem tem.

São necessários também alguns equipamentos, como coqueteleira, liquidificador, algo para moer gelo, e, é claro, bebidas das mais diversas qualidades. Licores, vinhos, champagnes, sidras, whiskies, vodkas e o que mais a imaginação permitir.

Um bom barman evita substituir ingredientes das receitas que ele conhece, mas sabe como fazê-lo, caso seja necessário. De uma maneira geral, por exemplo, pinga pode ser substituída por vodka sem grandes problemas (na verdade, e essa é um opinião pessoal, na maioria das vezes essa substituição resulta em melhoria).

Um bom barman sabe, também, quais misturas podem (e devem!) ser feitas, e quais não podem. De maneira geral, não se deve misturar bebidas destiladas (vodkas, whiskies, etc...) com fermentadas (vinho, champagne, sidras, etc...). O resultado pode ser incrivelmente indigesto! Certas bebidas fortes (cognac, por exemplo) caem melhor como tempero de drinks leves e praticamente não-alcoólicos. A mistura do cognac com creme de leite, açúcar e chocolate pode ser especialmente saborosa. A vodka, apesar de sua fama, pode cair muito bem em drinks de verão refrescantes, especialmente se combinada com frutas ácidas (limão, laranja e abacaxi, principalmente!). É uma delícia para tomar na beira da piscina.

O clássico whisky é uma bebida bastante forte, e adequada apenas a paladares mais treinados, pois seu sabor pode vir a ser extremamente agressivo para leigos. Entretanto, assim como ocorre com os congnacs, whisky pode ser um excelente tempero para bebidas comumente não-alcoólicas (quem aí não conhece o célebre Irish Coffee?). De uma maneira geral, whiskies e congnacs são bebidas para tempo frio.

Voltando às bebidas de verão, coquetéis feitos com refrigerantes ou água com gás podem ser particularmente refrescantes. Apenas tome cuidado com os refrigerantes, pois os aditivos presentes e o sabor pouco natural podem destruir o sabor de um coquetel que tinha tudo para ser excelente. Se ficar em dúvida, use sucos de frutas, naturais, feitos em casa, de preferência. Evite também, adoçantes que não o açúcar tradicional, pois esses adoçantes tem o péssimo hábito de ter um sabor amargo ao fundo, sabor este que pode tornar um drink feito com uma bebida mais forte absolutamente repulsivo, quando deveria gerar um efeito oposto.

 

TEMPERATURA IDEAL DO VINHO


Frio, frio... Quente, quente - a que temperatura servir o vinho?


História do Vinho no Brasil


 


As primeiras videiras do Brasil foram trazidas pela expedição colonizadora de Martim Afonso de Souza, em 1532. Brás Cubas, fundador da cidade de Santos, é reconhecidamente, o primeiro a cultivar a vinha em nossas terras. Em meados do século XVII aparece o primeiro registro histórico de cultivo da vinha no Rio Grande do Sul, associados à fundação das primeiras missões jesuíticas no sul do país, por missionários vindos da Argentina. Embora houvesse necessidade da produção de vinho para utilização na missa, a dificuldade de adaptação de variedades viníferas em nossas terras impediu a disseminação da vitivinicultura no Brasil.


Essa situação principiou a se alterar no século XVIII quando da fundação de Porto Alegre por açoreanos. Em 1813, D. João VI reconhece oficialmente a primazia de Manoel de Macedo Brum da Silveira no plantio de videiras e produção de vinho no Rio Grande.


Em 1840, a introdução da variedade americana Isabel, por Thomas Master, na ilha dos Marinheiros, foi sucedida de grande sucesso. Sua resistência e rusticidade fizeram que ela se implantasse preferencialmente na região em detrimento das cepas viníferas, mais frágeis. A uva Isabel foi-se disseminando nas áreas de colonização alemã como São Leopoldo.


As guerras de unificação da Itália provocaram a vinda maciça de imigrantes vênetos para a Serra Gaúcha. Novamente os bacelos de cepas viníveras, por eles trazidos, não medraram e os colonos foram se habituando ao sabor estranho do vinho foxado produzido pelas uvas Isabel que gradativamente tornou-se o padrão da região, onde ainda é muito apreciado.


Há algumas décadas a preocupação com a melhoria de qualidade e a melhoria das técnicas agromômicas fizeram com que, novamente, se iniciasse o plantio de variedades viníferas. A partir de 1970 vinícolas multinacionais como a Moet & Chandon, a Martini & Rossi e a Heublein estabeleceram-se na Serra Gaúcha trazendo equipamentos de alta tecnologia e técnicas viticulturais modernas. Essas empresas implementaram, também, junto aos calouros da Serra, um programa de estímulo à modificação do sistema de plantio, passando da latada à espaldeira. Estimularam, igualmente, a produção de cepas viníferas. Essas medidas tiveram como consequência um grande salto qualitativo no vinho brasileiro que hoje, a despeito das dificuldades de solo e clima, ostenta padrão internacional de qualidade.

Tipos de Vinho

Tintos
Produzidos com enorme variedade de uvas, com resultados que variam com a região e as técnicas de produção empregadas. Podem ir dos mais leves e refrescantes, que devem ser bebidos imediatamente (como o Beaujolais Nouveau da Bourgogne francesa), a vinhos extremamente densos e encorpados, como os Cabernet Sauvignon da Califórnia (EUA). Os mais leves são os Valpolicella e os Bardolino, na Itália, e são também encontrados por toda a França. Uns são mais sutis, como os bons Bourgogne, Côtes-du-Rhône, a maioria dos Bordeaux (na França), Rioja (Espanha), Chianti (Itália), Dão, Douro e Bairrada (Portugal) e os Cabernet Sauvignon do Chile, Austrália e Nova Zelândia. Outros são potentes, com grande concentração e cor profunda, e merecem longos anos para se arredondarem. São exemplificados, na Europa, pelo Hermitage (francês), pelos Barolo e Brunello di Montalcino (italianos), pelo Vega Sicília (espanhol) e, fora da Europa, pelo Cabernet Sauvignon da Califórnia e pelo Shiraz australiano.
Brancos secos
Feitos geralmente com uvas brancas (na verdade, de casca verde). Na sua maioria são jovens e frescos e mais simples –sem profundidade de aromas e sabores : é o caso dos Bordeaux brancos, dos Chablis mais simples, Aligoté e Mâcon (os três da Bourgogne francesa) e dos italianos Frascati, Verdicchio, Orvieto e Soave, entre

tantos outros de vários países. Também podem ser frutados e aromáticos como os melhores alemães do Reno e Mosela (Riesling), os franceses da Alsace (uvas Riesling e Gewürztraminer) e os da Nova Zelândia. Há ainda os encorpados e aromáticos: são os Bourgogne brancos –feitos de Chardonnay e maturados em barris de carvalho

. Combinam bem com a comida. Há também os melhores vinhos da Alsace (de Riesling e Gewürztraminer), do vale do Loire (Sancerre, Pouilly) e da Rioja espanhola. Também são feitos na Itália, Califórnia, Austrália e África do Sul, principalmente com Chardonnay

Brancos doces
Chamados de vinhos de sobremesa, seu açúcar vem da própria uva. O mais famoso é o Sauternes (e seu vizinho Barsac), da região de Bordeaux (uvas Sémillon e Sauvignon). Há os alemães Beerenauslese e Trockenbeerenauslese e o húngaro Tokaji, além de vinhos do novo mundo
Rosés
Produzidos com uvas tintas, cuja casca é retirada no meio do processo, de forma que tinja apenas levemente o vinho. São produzidos na França, no vale do Rhône (Tavel) e no vale do Loire (Rosé d’Anjou)
Espumantes
Feitos de uvas brancas ou tintas, resultando no mais das vezes num vinho branco ou rosé, com gás. O melhor exemplo é o feito na região de Champagne (na França). No resto do país, são chamados de musseux ou crémant; na Itália, spumante; na Espanha, cava; na Alemanha, sekt
Fortificados
Produzidos como vinhos de mesa, têm adição de álcool, são mais doces e têm maior durabilidade. É o caso do vinho do Porto e do Madeira (Portugal), do Jerez (Espanha) e de vinhos utilizados em sobremesas, como os franceses Muscat de Beaunes-de-Venise, Rivesaltes e Banyuls e o português Moscatel de Setúbal

 História da Cerveja

Os Sumérios foram a primeira civilização a elaborar a cerveja. Os monastérios medievais que fabricavam a cerveja, como conhecemos atualmente, foram os responsáveis por espalhar o seu conhecimento pela Europa Central.
As bebidas produzidas à partir da fermentação de grãos, já eram fabricadas antes da idade média. Artefatos arqueológicos encontrados, demonstram sinais que houve prática convencional da fabricação de cerveja há 5000 anos atrás.
Como a cerveja não era filtrada, então ela era ingerida por meio de canudos.
As mulheres egípcias utilizavam a espuma da cerveja como rejuvenescedor da pele. 
Hoje, nós mulheres, prefererimos beber a cerveja...não apenas passá-la no rosto!
Na América, a cerveja só chegou depois da chegada dos Europeus.
A primeira cervejaria das Américas foi construída em 1544, próximo ao México por Dom Alfonso de Herreira.
As cervejas podem ser de baixa fermentação ou de alta fermentação.
A maioria das cervejas comercializadas são de baixa fermentação.
A maioria das cervejas comercializadas são do tipo Pilsen, caracterizado por uma cerveja clara e com sabor amargo.
Há muitos outros tipos de cerveja como a Bock, a Malzbier, etc. 
O teor alcoólico de uma cerveja Pilsen é de aproximadamente 4,5 G.L.
Você Sabia?
Que a idéia de fermentar o pão veio da fermentação da cerveja?
Antes da cerveja, todos os pães eram ázimos (não eram fermentados). Mas um dia ao observarem a espuma que a cerveja fazia enquanto fermentava, verficaram que esta parecia crescer. Então tiveram a idéia de retirar um pouco dessa "espuma" e colocá-la na massa de pão...daí o pão também fermentou..."cresceu". À partir desse dia, a maioria das massas de pães passaram a levar fermento.
Ingredientes Básicos de uma Cerveja 

Os ingredientes básicos de uma cerveja são:
-Água  -Malte -Lúpulo
-Adjuntos( materiais ricos em carbohidratos)
A água é um dos principais ingredientes de uma cerveja. A cerveja é constituída por 90% de água, sendo assim, ela têm que possuir características determinadas para a produção de cerveja.
O grão que se malteia para fabricar a cerveja é a cevada. Pois a cevada possui várias características (dentre elas o sabor) que são indispensáveis para a fabricação de uma boa cerveja. Malteação é o nome dado à um processo que têm por finalidade "ativar", no grão de cevada, as enzimas que serão responsáveis pela "transformação" do "mosto" em cerveja.
O Lúpulo é o responsável pelo sabor "amargo" da cerveja. O Lúpulo é uma planta muito cultivada na Europa, e a sua introdução entre os ingredientes da cerveja deu-se devido aos monges da idade média.
Os Adjuntos são substâncias utilizadas para melhorar as características da cerveja. Como: brilho, cor mais clara, entre outras.

Produção de Cerveja

De uma maneira simples, podemos dizer que a produção de cerveja dá-se da seguinte maneira:
1º) Mosturação
A mosturação têm por finalidade formar uma solução à partir das enzimas do malte.
A mosturação consiste por misturar a água com o malte, ( já moído, para facilitar o processo), e "cozinhar". Esse processo é marcado por várias etapas. Essas etapas têm por finalidade: primeiro, promover a mistura homogênea da água com o malte, depois, "ativar" as enzimas para que estas possam agir.
Os açúcares fermenticíveis presentes no mosto cervejeiro são:
-Glicose; -;Maltose; -Maltotriose.
O processo de mosturação dura aproximadamente duas horas.
2ª) Clarificação
Após a mosturação, o mosto é filtrado (clarificado) para que seja retirado o "bagaço" do malte.
3º) Fervura
Depois da fitragem, o mosto clarificado vai para o cozimento propriamente dito. Nesta etapa é que são adicionados o lúpulo e o adjunto, e o mosto é colocado para ferver. Esta fervura têm por função: a concentração e a esterilização do mosto, a inativação das enzimas e a precipitação das proteínas que seriam indesejáveis à continuidade do processo.
Essa fervura dura uma hora ou um pouco mais.
4º) Decantação
Depois da fervura o mosto é trasfegado para um tanque onde todas as substâncias que se precipitaram durante a fervura são decantadas. A solução formada, que contém essas substâncias, é denominada trub.
5º) Resfriamento e aeração
À seguir o mosto é resfriado e aerado. Resfria-se o mosto para impedir o aumento da oxidação e a elevação do amargor, dentre outros fatores. Oxigena-se o mosto para assegurar o teor necessário de O2 para a propagação da levedura e prover a flotação.
6º) Dosagem do fermento
Depois de aerado e resfriado, adiciona-se o fermento (levedura) ao mosto. A dosagem vai depender do: processo fermentativo, teor de extrato do mosto, temperatura de fermentação, capacidade da dorna de fermentação e duração da fermentação.
7º) Fermentação
Na fermentação é que vai ocorrer a transformação dos açúcares simples em álcool, CO2 e calor.
O processo de fermentação dura aproximadamente 7 dias. 
8º) Maturação
A maturação da cerveja é necessária para que haja a produção e saturação de CO2, a cerveja torne-se mais límpida e haja o amadurecimento dos compostos responsáveis pelo paladar.
A maturação pode levar 7 ou mais dias.
Após essas oito etapas a cerveja "propriamente dita" está pronta. As cervejas comerciais passam por uma centrifugação e depois, uma outra filtragem, para dar a transparência e o brilho característicos, além de eliminar todos os resíduos do fermento. Só então, a cerveja é engarrafada e pasteurizada.
A duração média de uma cerveja engarrafada é de seis meses. Após esse período, a bebida perde suas características, entre elas, o paladar e o brilho

BEBIDAS DE A a Z

"A"

AGUARDENTE

Nome genérico das bebidas destiladas fortes produzidas nos países de língua espanhola e portuguesa. Na Espanha, o aguardiente é um drinque feito com a casca, o caule e as sementes das uvas. Na América Latina, é uma bebida destilada da cana-de-açúcar, chamada no Brasil de cachaça.

 AMER PICON

Aperitivo patenteado, com sabor de laranja e enciana. É um drinque espesso e um pouco pesado, mas muito refrescante quando servido com bastante gelo, soda, gotas de grenadine e uma rodela de laranja.

 AMARULA

Este licor selvagem natural de creme de fruta é produzido de um delicioso creme extraído da Marula, onde é criada hoje apenas na África do Sul. Toma-se gelada, à uma temperatura ideal de 8 graus célcius.

 

AMARETTO

Licor com sabor de amêndoas, geralmente produzido com caroços de abricó. Pode ser tomado puro ou em drinques.

 ANGUSTURA

Feito à base de genciana, esse é o mais famoso dos bitters, patenteado como Angostura, nome da cidade venezuelana onde originalmente era preparado. Entra no preparo de centenas de drinques.

 ANIS

Termo genérico , usado para todas as bebidas aromatizadas com erva do mesmo nome, principalmente os licores.

 ANISETTE

Nome francês para os licores de anis tipo doce . A marca francesa mais famosa é o Marie Brizard

 AQUAVIT

Originário da expressão "água da vida", com que tribos europeias chamavam as bebidas alcoólicas, esse termo hoje se aplica aos destilados da Escandinávia. A bebida é feita de batatas ou de cereais, e redestilada com aromatizantes.

ASBACH

 O mais famoso brandy alemão, feito na região do Reno e envelhecido em tonéis de carvalho, como o conhaque.

 APPLEJACK

É o brandy de maçã, e pode ser bebido puro, para quem gosta de bebidas fortes, ou combinado com muitas outras bebidas. O mais famoso do mundo é o applejack americano

 ARAK

Termo de origem árabe para denominar os destilados. A bebida mais famosa desse tipo é o batavia arak, produzido em Java, Indonésia, à base de arroz fermentado e melado de açúcar, e envelhecido por cerca de dez anos.

 ARMAGNAC

Tido como o segundo melhor brandy do mundo, o armagnac só perde para o conhaque. É feito com uvas tipo folle blanche, plantadas em solo arenoso, e destilado uma única vez. Resulta numa bebida mais escura e de sabor intenso..

 "B"

BÉNÉDICTINE

Considerado o mais antigo licor do mundo, é composto por 27 ervas, plantas e cascas. Sua fórmula é secreta e exige uma preparação de cerca de três anos, além de um envelhecimento de pelo menos quatro anos.

 BIANCO

Palavra italiana que significa branco, usada para determinar os vermutes brancos e doces, geralmente com leve sabor de baunilha.

BITTERS

Amargos, em inglês. Termo utilizado para descrever essências e bebidas alcoólicas feitas de raízes de flores, frutos e cascas maceradas em álcool neutro. Seus ingredientes mais comuns são a genciana, a laranja e o quinino.

BLACKBERRY LIQUEUR

Licor de amora silvestre feito pela maceração da fruta em álcool neutro ou brandy.

BOURBON

O uísque tradicional americano, produzido a partir do milho, com o acréscimo de cevada e centeio. Tem uma doçura semelhante à das fruta, arrematada por um sabor pronunciado, em parte devido ao envelhecimento em tonéis de carvalho queimado.

BRANDY

Nome genérico das bebidas destiladas de frutas. Na linguagem coloquial, o termo brandy é comumente usado para definir destilados de vinho, como o conhaque e o armagnac.

 "C"

CUARENTA Y TRES

Quarenta e três ingredientes compõem esse licor patenteado espanhol, feito à base de brandy e muito popular em seu país. É bastante doce, com ligeiro sabor de baunilha..

CURAÇAU

Licor de laranja. O mais conhecido é o triple sec, fabricado pela firma francesa COINTREAU. Preparado com pequenas laranjas verdes e amargas cultivadas na ilha de mesmo nome, nas Antilhas Holandesas.

CALVADOS

Um dos melhores brandies do mundo e o mais fino dos destilados de maçã, o calvados é o orgulho da Normandia, onde é produzido em região demarcada. É uma bebida seca, suave e de perfume sutil, destilada duplamente e envelhecida em barris de carvalho. O calvados é recomendado para após as refeições, em qualquer ocasião.

CACHAÇA

Destilado de açúcar típico do Brasil, herdado da colonização portuguesa.

CAFÉ PARISIENSE

É praticamente impossível ir à Paris e não tomar esse delicioso café.

Ingredientes:
2/4 de café quante
1/4 de brandy
1/4 de Grand Marnier
1 colher de açúcar
chantilly
raspa de laranja
Modo de Preparo:
Colocar tudo na coqueteleira, reservando o chantilly e a laranja.

CALISAY

Licor patenteado de quinino ligeiramente viscoso, produzido na região de Barcelona e bastante apreciado em toda a Espanha.

CAMPARI

Aperitivo Italiano mais famoso do mundo. É uma bebida bem seca, com sabor pronunciado de quinino.

CHARTREUSE

O mais sofisticado dos licores produzidos à base de ervas , com duas versões: verde e amarelo-vivo.

CHERRY BRANDY

Termo usado para os licores de cereja. A Dinamarca produz um tipo seco e com sabor amargo, vindo do caroço da fruta.

CHAMPANHA

A bebida tradicional das comemorações, este é um vinho espumante originalmente produzido na região francesa de Champagne, a partir de uvas tipo Pinot Noir e Chardonnay. Uma segunda fermentação, que ocorre diretamente na garrafa, lhe confere a eferverância natural. Deve ser bebido em taças, sempre frio mas não muito gelado.

CHIANTI

O mais famoso (e imitado) dos vinhos italianos, é produzido na região de Toscana a partir de diversos tipos de Uva. É tinto e oferece uma ligeira acidez. O chianti tradicional é apresentado em garrafas avermelhadas revestidas de palha.

CHINA-MARTINI

Pronunciada "quina", a palavra china é uma referência ao quinino empregado em sua produção, e Martini refere-se à firma Martini & Rossi, fabricante desse licor ainda pouco conhecido fora da Itália, seu país de origem. Pode ser tomado como aperitivo, diluído em suco de limão e soda ou puro.

COINTREAU

A marca de triple sec mais famosa do mundo, o Cointreau é um licor de curaçauincolor, produzido pela firma francesa do mesmo nome, a partir, a partir de pequenas laranjas verdes originárias da ilha de Curaçao, nas Antilhas.

CONHAQUE

Brandy considerado a mais elegante de todas as bebidas. O conhaque deve ser destilado duas vezes e envelhecido por pelo menos dois anos em tonéis de carvalho. Quando tem três estrelas no rótulo, é o mais modesto da destilaria, e cinco estrelas identificam o principal produto da empresa.

"D"

DRAMBUIE

O mais famoso licor de uísque, o drambuie é feito com "highland malt whisky"e mel de urze. Seu nome é de origem gaélica e significa "drinque que satisfaz".

DUBONNET

Conhecido vermute francês de cor avermelhada, cujo sabor fica entre o doce e o amargo.

DESTILAÇÃO

Processo que separa a água do álcool através do aquecimento do líquido até seu ponto de ebulição, considerando-se em seguida o vapor obtido (álcool).

"E"

EAU-DE-VIE

Em português, "água da vida", esse é o termo usado para os brandies, seja ele modesto ou especial. Muitos são os eau-de-vie como o marc, feito com folhas de uvas; os calvados, feito com maçã; o poire, feito com pêra; o enzian, feito com genciana,etc.

ECHTE

Termo alemão que significa legítimo. Alguns fabricantes o acrescentam aos rótulos, para destacar as bebidas autênticas.

EGG-NOG

Bebida nutritiva, servida quente ou fria, feita à base de ovo, açúcar, vinho do Porto, xerez, brandy, rum, ou whisky, que se completa com leite e noz-moscada ralada.

"F"

FERNET

Digestivo amargo feito à base de ervas pela firma Martini & Rossi, de Turim, Itália. A firma Branca produz uma bebida igual e com o mesmo nome, que, segundo consta, foi lançada seis meses após a primeira. Para muitos, esse drinque é excelente para curar ressaca.

FIZZ

Coquetel refrescante, ao qual se pode adicionar clara de ovo, suco de limão e água gasosa. Serve-se em copo tipo long drink

FRISANTE

Vinho espumante, engarrafado durante sua fermentação.

FALERNUM

Xarope feito no Caribe com diversas frutas e contendo pouco álcool. Os ingredientes principais são o limão e o gengibre.

FUNDADOR

Provavelmente o mais famoso brandy espanhol e também o mais consumido na Espanha. É um conhaque de excelente qualidade, fabricado pela Domec.

FINLANDIA

Vodca forte, produzida no país que lhe empresta o nome.

FINO

O melhor e mais refinado tipo de sherry. Um aperitivo claro e bem seco.

FIOR D' ALPI

Licores de ervas típicos dos Alpes, que apresentam um raminho dentro da garrafa.

"G"

GALLIANO

Licor dourado e bem doce, com aroma de flores, ervas, especiarias diversas e um gostinho de baunilha no final.

GYOKURO

Tipo de chá de origem japonesa, comumente usado na preparação de diversos licores..

GIM

Destilado de cereais aromatizado com zimbro. O nome é uma abreviação das palavras usadas para denominar o zimbro em diversos idiomas: genever(holandês), juniper (inglês), ginepro (italiano). A tradição afirma que o GIM deve ser destilado duas vezes.

GRENADINE

Xarope adoçado de romã que contém pouco ou nenhum álcool e é usado para aromatizar coqueteis.

GROSELHA

Fruta utilizada na fabricação de muitos licores no mundo inteiro. Os melhores são os franceses, conhecidos como créme de cassis. O créme de cassis pode ser misturado ao champanha, ao vinho branco ou ao vermute gelados, compondo um drinque encorpado, próprio para ser servido após as refeições. Essa frutinha também é base para produção de brandies.

GRAPPA

Brandy destilado de cascas, caroços e talos de uva, e que resulta numa bebida rude, ardente e muito seca. Com o tempo, torna-se mais suave.

GRAND MARNIER

Tradicional licor de laranja feito à base conhaque, fabricado pela firma do mesmo nome. As laranjas usadas são as do tipo curaçau, que ficam macerando no conhaque.

"H"

HIDROMEL

Fermentação do mel com água das chuvas. A primeira bebida do nosso mundo.

HORSE'S NECK

Coquetel com whisky Jack Daniel's e Ginger Ale.

HULA HULA

Coquetel com gim, suco de laranja e açúcar.

"I"

ISLAY MALT WHISKY

Uísque produzido na ilha escocesa de Islay . É seco, de sabor forte e aroma peculiar. Entra na fabricação da maioria dos Scotches do tipo blended.

IRISH WHISKEY

Uísque irlandês, considerado um dos melhores do mundo. É produzido à base de cevada, um segundo cereal não fermentado, o trigo, o centeio e a aveia.

.

"K"

KORN

Destilado de cereais do tipo claro, bebido no norte da Alemanha, geralmente acompanhado de cerveja.

KAHLUA

Licor de café originário do México e muito popular nos Estados Unidos, onde é tomado após as refeições e utilizado em coquetéis e sobremesas.

KÄBANES

Licor semi-amargo típico da cidade alemã de Colônia. Encontrado também em cidades estrangeiras onde onde a comunidade alemã é significativa, como na americana Chicago.

KRIEK

Cerveja aromatizada com cerejas, de alta qualidade, tradicionalmente tomada na Bélgica durante o verão.

KIRSCH

O mais famoso dos brandies de frutas, produzido originalmente na região onde a França, a Alemanha e a Suíça se encontram. Destilado de cerejas forte e seco. Os franceses o destilam exatamente até o ponto onde ainda detém todo o sabor da fruta, enquanto os alemães preferem menos aromatizado.

"L"

LILLET

Vermute patenteado francês, com leve sabor de laranja e apresentado em duas versões: um branco e outro tinto, este mais doce que o primeiro. É um aperitivo leve e seco.

LICOR

Em geral, considera-se licor um drinque específico, feito com um destilado-base ao qual se adiciona por infusão, maceração ou redestilação, agentes aromatizantes como raízes, cascas de árvore flores, frutas e sementes.

 

 LONDON DRY GIN

Denominação completa do gim inglês, considerado o melhor do mundo. É produzido com um álcool-base destilado de cereais e de outras matérias primas, como o melado, mas é retificado até a neutralidade antes da redestilação com os aromatizantes naturais

"M"

MANZANILLA

Tipo incomum de sherry, de aroma delicado e sabor muito seco, que chega a parecer amargo. Ao que parece, essa qualidade é conferida pelo sal do ar marinho, pos a bebida é fabricada na costa sul da Espanha.

MÁLAGA

Vinho enriquecido da antiga cidade de Málaga, na costa sul da Espanha. É um vinho escuro e doce.

MADEIRA

Tipo de vinho enriquecido da ilha do mesmo nome, localizada no ocecano Atlântico, na altura da costa do Marrocos. O MADEIRA é misturado com brandy e mantido por 4 ou 5 meses a uma temperatura de 48 graus Célcius. Este processo transforma o vinho ácido e rude em um drinque de personalidade, com ligeiro sabor de açúcar queimado e que tem largo emprego na culinária.

MANDARINE NAPOLEÓN

Elegante licor patenteado, feito na Bélgica com tangerinas espanholas da Andaluzia, maceradas em conhaque envelhecido.

MARC

Termo francês para "cascas de uva"e para o rude brandy feito com elas. Usado para marinar pedaços de queijo borgonha, compondo um canapê conhecido como époisses conflit au marc, muito apreciado na França.

MARIE BRIZARD

Tradicional firma francesa de licores, famosa pelo seu anisette e pelo brandy de abricó.

MASTIKA

Licor de alcaçuz ou aniz, resignado com almécega. É fabricado nos Bálcãs, na Grécia e em Chipre.

MÉDOC

Denominação usada para duas bebidas fabricadas em Bordeaux: um vinho e um licor, cordial Médoc, este mistura de ervas e aromatizantes com o vinho.

MENTA

Coquetel feito à base de bourbon, hortelã e gelo.

METAXA

Brandy encorpado e aromático feito com uvas pela destilaria grega homônima.

MIRABELLE

Brandy do tipo eau-de-vie, destilado da ameixa amarela homônima.

MISTELLE

Mistura de brandy e suco de uva, feito com o excedente da produção em algumas regiões produtoras de brandy. A mistura quando envelhecida resulta num aperitivo doce e encorpado.

MARRASQUINO

Licor de cerejas originário da Dalmácia, na antiga Iuguslávia, ainda que as marcas mais famosas da atualidade sejam as italianas. Além de ser tomado puro, após as refeições, o marasquino é empregado para aromatizar coquetéis e na confeitaria.

MARSALA

Vinho enriquecido que tem sabor de açúcar queimado e é produzido com suco de uvas aquecido. Há um tipo seco e que pode ser tomado como aperitivo, e o tradicional, escuro e mais doce. Há também um licor de Marsalla, feito com gema de ovo e outros aromatizantes. O marsala é indispensável no zabaione, cássica sobremesa italiana.

MOSCATEL

Vinho doce feito com uvas moscatel, cultivadas em regiões do sul da Europa e do Mediterrâneo. As mesmas uvas são usadas para produzir vinhos espumantes na Itália e na Califórnia (EUA).

"P"

PASHA

Licor de café produzido na Turquia.

PASTIS

Bebida de origem francesa composta à base de vários ingredientes e que representa uma alternativa ao Pernod, apenas com um sabor mais pronunciado de alcaçuz. A marca mais conhecida é a Ricard.

PARFAIT AMOUR

Licor roxo, de sabor muito doce e de fórmula variável. Creme de violeta, aromatizado com pétalas de outras flores e frutas cítricas. O resultado final deve oferecer uma pontinha picante. Algumas firmas o fazem com laranjas, flores de canela e caroços de pêssego.

PISCO

Brandy feito à base de vinho moscatel e amadurecido por pouco tempo em recipientes de barro. Pisco é uma palavra vinda do idioma quícha, significa pássaro, e é também o nome de uma tribo do Peru que fazia ânforas revestidas de cera de abelha para acondicionar a bebida.

PONCHE

Nome de um licor espanhol, à base de brandy e com sabor de sherry.

POMERANZ

Nome de um antigo licor e de um bitter feitos à base de laranjas verdes.

POIRE WILLIAMS

Na produção desta famosa eau-de-vie de pêra, as garrafas são presas às frutas da árvore, quando bem pequenas, para que se desenvolvam ali dentro. São retiradas quando as peras amadurecem , e preenchidas com um brandy feito com peras do mesmo tipo (williams) , num processo que confere ao licor um delicioso aroma de pomar.

PORTO, vinho do

Vinho produzido inicialmente nas colinas próximas à cidsade de mesmo nome, em Portugal. É enriquecido com brandy que, ao ser acrescentado, interrompe o processo de fermentação, permitindo que o vinho conserve a doçura natural das uvas.

PEPPERMINT SCHNAPPS

Schnapps de hortelã, fabricado nos Estados Unidos e cada vez mais comun nos bares daquele país, é usado como um substituto mais leve e menos doce do creme de menta.

PERNOD

É diluído em quatro partes de água e tomado com gelo. Forma de servi-lo: Colocar um funil na borda de um copo com Pernod; depois acrescenta-se um cubo de açúcar e outtro de gelo ao funil; para completar o drinque, derrama-se água no funil, para que passe pelo açúcar e pelo gelo e misture-se lentamente ao Pernod.

PERRIER

A água mineral mais famosa do mundo, originária da região de Nimes, sul da França. Ligeiramente salgada, funciona bem como digestivo e é ótima para curar ressacas.

PERSICO

Nome genérico dos bitters de pêssego, feito com folhas de pessegueiro.

PILSENER

Tipo de cerveja mais conhecido do mundo. Coloração dourada e brilhante, forte efervescência, sabor puro e bem seco e qualidades digestivas.

 

PIMM'S

Peculiar gim inglês semelhante ao sling, uma espécie de batida americana feita com gim, açúcar e limão.

PINEAU DES CHARENTES

Aperitivo doce, leve e encorpado, feito com o exccedente da produção de conhaque, misturado com sucoi de uva.

"Q"

QUEEN ELIZABETH

Coquetel à base de gim, vermute seco e bénédictine.

"R"

RAKI

Palavra usada no Oriente para definir qualquer destilado forte. Na Turquia se refere a um substituto do absinto, do tipo transparente e bem seco.

RETSINA

Inconfundível vinho da Grécia, branco ou rosado, com um poderoso travo no sabor, proveniente da resina de um tipo de pinheiro adicionada na fermentação.

RUM

Primeira bebida oficial no NOVO MUNDO. Este destilado pode ser obtido a partir de duas matérias-primas básicas: diretamente da cana-de-açúcar ou da planta esmagada. O rum leve (dourado) é amadurecido por pouco tempo, enquanto os mais encorpados envelhecem em tonéis de carvalho escuro por períodos que variam entre dois e quinze anos.

RUM Cubano

Rum do tipo leve, usado no consagrado drinque chamado Daiquiri.

RUM da Jamaica

Os mais fortes e encorpados são destilados duas vezes e sua personalidade resulta da reutilização dos resíduos de vários estágios da produção.

RUM do Haiti

Rum mais ou menos leve e de boa qualidade, destilado a partir do suco da cana-de-açúcar.

RYE

Primeiro uísque produzido nos Estados Unidos, provavelmente no século XVII, embora uma precisão histórica seja impossível. Chamado de "o uísque dos pioneiros", o rye é feito com pelo menos 51% de centeio e os restantes 49% são compostos por milho e cevada. É destilado e envelhecido em tonéis de carvalho escuro, como um bourbon (charmosa bebida que veio ocupar o lugar do rye na preferência dos americanos).

"S"

SLOE GIM

Rústica bebida inglesa. Trata-se de um gim macerado com abrunhos e, às vezes, recebe outras frutas aromatizantes, para depois ser envelhecido em tonéis de madeira.

SLIVOVITZ

Nome genérico de um excelente brandy de ameixa produzido em vários países da Europa central e nos Balcãs, reconhecido também como a bebida nacional da Iuoslávia. As ameixas do slivotz devem ser do tipo pozega, grandes e doces, e colhidas de árvores de mais de vinte anos de idade. Parte dos caroços também é usada, resultando numa bebida seca e com sabor semelhante ao da amêndoa.

 

SHERRY

Um dos mais notáveis vinhos do mundo, é um aperitivo insuperável em sua versão fino e uma bebida rica e versátil nas versões amontillado e oleoso

SEKT

Nome genérico dos vinhos espumantes da Alemanha que possuem a doçura típica das frutas.

SAQUÊ

Curiosa bebida de origem japonesa: não é um destilado, ainda que tenha sabor forte e deva ser bebido em pequenos goles; também não se trata de um vinho, ainda que se possa defini-lo como vinho de arroz, que deve ser aquecido a 40Graus Celcius e bebido quente.

STEAM BEER

A única cerveja tipicamente americana. Seu nome, cuja tradução seria "cerveja de vapor", se deve à grande pressão por ela liberada. O resultado é uma cervejasemelhante à ale, mas de personalidade própria.

STEINHÄGER

Gima alemão feito por um método bastante peculiar: as frutinhas de zimbro são esmagadas e transformadas numa pasta, que é fermentada e depois destilada.

STONSDORFER

Excelente bitter digestivo alemão.

 SCOTCH

Nome oficial dos uísques feitos na Escócia. Mistura de vários tipos produzidos pelas muitas destilarias escocesas, e exportado para outros países produtores de uísque. Composto por: 60% de uísques de cereais e o restante de uísques de cevada feitos em diferentes regiões da Escócia.

ST. RAPHAËL

O mais doce dos aperitivos patenteados franceses, em que transparece um ligeiro sabor de pêssego.

STREGA

Típico licor Italiano, doce e saboroso. É feito com mais de setenta ervas e indicado para após as refeições, como ingrediente para coquetéis e para um tradicional sorvete italiano.

SOUTHERN COMFORT

um dos poucos licores nativos dos Estados Unidos, além do mais antigo. Consta que ele é derivado de um coquetel de pêssego, seu sabor também carrega laranja e ervas, numa bebida um tanto forte para um licor. No fundo, trata-se de um uísque aromatizado, próprio para ser saboreado em coquetéis ou com gelo nos dias quentes.

STOUT

Cerveja de alta fermentação feita com cevada queimada e às vezes não preparada. Oferece dois tipos principais: Uma adocicada, com baixo teor alcoólico e outra forte e seca.

SWEDISH PUNSCH

Esta é uma das bebidas mais curiosas do Ocidente, embora de origem oriental. trata-se de uma mistura engarrafada do raki do tipo javanês, destilados neutros e vinhos diversos, e envelhecida por alguns meses. É bastante popular na Suécia.

"T"

TEQUILA

É feita com a seiva do mezcal. Destilada duplamente em alambique e amadurecida em tanques revestidos com cera de abelha ou em tonéis de carvalho, por períodos que raramente ultrapassam quatro anos.

TIA MARIA

Tradicional licor de café, à base de rum aromatizado com especiarias típicas da Jamaica, onde é produzido. O TIA MARIA é mais seco do que o seu concorrente Kahlua.

TOKAI

Vinho branco e forte, produzido nos arredores de Tokaj, na antiga Hungria. Vinho feito com uvas do tipo furmint.

"U"

UÍSQUE

Uísque é qualquer bebida destilada de cereais que possua uma boa porcentagem de centeio e que, após a fermentação, retenha o sabor de suas matérias-primas; esse sabor pode ser realçado pelo método usado na fermentação e pelo tonel em que a bebida é envelhecida. Cada um dos países produtores, notadamente Escócia, Canadá,Irlanda e os EUA, desenvolveu seu próprio estilo de fabricação, resultando em produtos bem diversos.

"V"

VODCA

Termo referente usado para definir qualquer bebida destilada, seja de uvas, cereais ou batatas. O charme da vodca pura, que foi obtida pelos eslavos, consiste no aroma, alcoólico e ligeiramente oleoso, e no sabor forte e seco, que a consagrou como base de coquetéis.

VERMUTE

Toda a história da produção de bebidas alcoólicas pelo homem podem caber num copo de vermute, pois ao que consta, este foi o primeiro vinho modificado do mundo. Mais de 150 ervas entram na sua composição, entre as quais algumas que são comuns nos bitters: camomila, quinino, raíz de íris e casca de frutas cítricas.

VICH CÉLESTINS

Famosa água mineral de paladara ligeiramente salgado, originária de Vichy, estação de águas francesa.

"X"

XEREZ

O mesmo que sherry, Vinho fortificado, resultante da adição de brandy ao vinho comum.

XÊNIA

Drinque, feito com licor de cerejas, chartreuse e gim.

XIXI DE ANJO

Drinque para a noite: Aguardente, suco de limão , gim, anisette e açúcar.

XUXA

Drinque feito com a mistura em coqueteleira: Conhaque, whisky e cointreau.

"W"

WHISKY

Destilado feito a partir do malte. Deve ser envelhecido por, no minimo, três anos, mas quase todos os fabricantes deixam o whisky em seus tonéis entre cinco e trinta anos.

WEST INDIA

PONCHE: Rum, licor de banana, suco de abacaxi, suco de laranja, suco de limão, açúcar, noz-moscada ralada, canela em pó, água mineral gasosa, club soda e fatias de banana para a decoração.

"Y"

YOLANDA

Coquetel à base de vermute doce. Adiciona-se brandy, gim e anisette.

YALE

Coquetel à base de Gim. Adiciona-se vermute seco, curaçau azul e angostura.

"Z"

ZOMBI

Coquetel à base de rum, elaborados com suco de abacaxi, suco de limão, suco de laranja, suco de maracujá e licor de damasco.

ZARA

Coquetel à base de gim e dubonnet.

ZARASTRUSTA FLIP

Coquetel à base de conhaque, licor Grand Marnier, creme de leite e gema de ovo.

                                                 Cachaça, um trago de história

                                              A mais nobre das bebidas brasileiras nasce em pequenos alambiques entre serras e fazendas. É a cachaça artesanal, muito superior às aguardentes industrializadas. Ganha em buquê e sabor, virtudes garantidas pela utilização somente do supra-sumo da matéria-prima e da produção e pelo lento descanso em barris de madeira. Representa 30% na oceânica produção nacional de um 1,5 bilhão de litros de aguardente por ano. Mas nunca se acanhou. Tornou-se símbolo de resistência à dominação portuguesa na Revolução Pernambucana, em 1817, quando os colonizadores quiseram impedir sua produção para incentivar o consumo de vinho. Manteve o posto até as últimas revoltas pró-independência. Depois, freqüentou a mesa do imperador dom Pedro II. Carrega em seus barris o doce sabor da história do Brasil. Sabor que PLAYBOY foi buscar em cinco cidades que preservam, do corte da cana à destilação, a forma original de gerar as melhores aguardentes. A rota chique da cachaça revela uma bebida nobre como um uísque consagrado, tradicional como um vinho francês e com a vantagem de ter um fino sotaque brasileiro.

Insanidade imaginar que o mártir Tiradentes teria desejado, pouco antes da forca, molhar a goela com um trago de cachaça? Talvez não. Motivos ideológicos fariam dessa atitude o último ato de resistência à dominação portuguesa, já que a aguardente era símbolo dos ideais de liberdade dos inconfidentes. As causas sentimentais ligariam o pedido às lembranças que Tiradentes tinha do alambique da Fazenda Boa Vista, a 9 quilômetros de onde nascera. Saudade do cheiro agridoce do caldo de cana fermentado.

Mesmo depois de dois séculos, é difícil entrar nesse engenho da pacata cidade de Coronel Xavier Chaves e não apostar que a suposição seja certeira. Produzida da mesma forma desde o século XVII, a cachaça que Tiradentes teria desejado chama-se Boa Vista. No comando da velha roda-d'água está Rubens Chaves, descendente da tia do mártir. Dos "truques guardados a sete Chaves", que ele diz ter - fazendo um trocadilho com o nome da família e seus antecessores -, o mais inusitado é o envelhecimento da cachaça em tanques parafinados. "Não fica amarela como aquelas produzidas nos barris de madeira porque não tem vergonha de ser cachaça", brinca.

Longe dali, mas relativamente próximo historicamente, um descendente da realeza brinda a qualidade da aguardente que produz. É dom João de Orleans e Bragança, dono da Maré Alta, em Parati, Rio de Janeiro. Entusiasta da boa cachaça, o príncipe recorda a época do exílio na França, quando seu pai, dom Pedro de Alcântara, matava a saudade do Brasil ao sabor da aguardente tupiniquim que importava. "Meu bisavô, dom Pedro II, também apreciava a bebida", conta. Prova disso é um registro indicando a entrada de 2 litros de cachaça no Palácio São Cristóvão, no Rio de Janeiro.

Se a Maré Alta é de estirpe nobre, outra marca de Parati, a Corisco, carrega uma descendência, digamos assim, desbravadora. Aníbal Gama, produtor da cachaça, revela ser parente longínquo do navegador Vasco da Gama. No engenho da Corisco pode-se ver tudo em pleno funcionamento: a roda-d'água que movimenta o moedor de cana, os cochos de fermentação e a cachaça pingando do alambique de cobre. Outra boa pedida é provar uma aguardente de cor azulada, resultado do acréscimo de folhas de tangerina durante a destilação. Uma marca registrada da cidade cujo nome já foi sinônimo de cachaça.

Quando nasceu a mãe de José Gonçalves de Macedo, o Zé Marinho, faltavam algumas telhas para terminar o engenho que anos depois ele herdaria. Era 1912, início da época de ouro para Januária, cidade do norte de Minas Gerais. Um ouro líquido como água e em barris de pura cachaça. Margeada pelo Rio São Francisco, Januária era entreposto comercial para os vapores que subiam o Velho Chico. Deixavam ali o sal e o café, levavam os tonéis de cachaça e, junto, a fama da melhor aguardente da época.

Hoje, no engenho que o viu nascer, Zé Marinho destila 400 litros por dia da branquinha. A produção abastece as quatro principais marcas da cidade: Claudionor, Caribé, Motinha e Velha Januária. Fortes, com teor alcoólico na margem dos 50 graus, elas alimentam os causos nas esquinas januarenses. Entre um trago e outro, descobrem-se, por exemplo, duas versões para o nome da cidade. Uma alega a homenagem a Januária, filha de dom Pedro I. A outra, revelada após umas tantas doses, afirma tratar-se de reverência a uma antiga prostituta da região.

A aguardente também embala as mágoas dos produtores, que viram sua caninha perder para a também mineira Salinas, a partir de 1980, o topo do pódio das melhores aguardentes. Na concorrente festeja-se a goles fartos e magra modéstia o título de Capital Mundial da Cachaça. Com razão. Ancoradas pela Havana, uma cachaça eternamente hors-concours, as marcas de Salinas distribuem, por ano, 500000 litros de aguardente de irretocável qualidade. "Isso só é possível por causa do grau de acidez da água e da terra da região", revela o produtor Antônio Rodrigues. Não é raro encontrar marcas salinenses disputando com outros destilados a preferência em festas do Planalto Central.

Mais de 130 alambiques espalhados pela costa e navios saindo com barris de cachaça para enfrentar o frio e o pouco conhecido oceano. Poderíamos muito bem estar falando da Parati do século XVIII. Mas não. A imagem descrita é de Desterro, atual Florianópolis, capital catarinense, que dividia com a cidade fluminense o posto de grande distribuidor de cachaça na época. Nenhum navio saía do porto sem aguardente. A quantidade para cada tripulante era designada em contrato e a falta dela era risco de motim. A cachaça protegia contra o resfriado, fortalecia os adoentados e esquentava as noites no convés da embarcação.

Hoje, dos mais de 100 alambiques resta somente um, no sertão do Peri, lugar de difícil acesso mas com paisagens de deixar qualquer um embevecido. Nele é produzida a cachaça Mata-Bicho do Arante, comercializada apenas no Restaurante do Arante, na Praia do Pântano do Sul. O restaurante, por si só, também é um marco da cidade. Ponto de encontro, na década de 50, de pescadores que paravam por ali para tomar a cachaça com café depois da lida no mar, o restaurante ganhou fama a partir de 1970, quando paulistas e gaúchos ocuparam o sul da ilha, antes isolado. O peixe com pirão deixou de ser comida só de pescador e tornou-se o prato típico de Florianópolis. O melhor jeito de saboreá-lo é com boas doses de pinga, ou, como eles preferem chamar, mata-bicho, numa alusão à crença de que a cachaça mata o efeito de qualquer doença.

                                                        Coma mais fruta.
                                                          

Elas têm vitaminas e sais minerais e ficam ótimas com vodca, saquê, pinga, gim... Confira algumas receitas e prove o melhor das frutas:

Caipirinha de saquê e framboesa
4 colheres de sopa de polpa de framboesa (pode ser congelada),
1 dose de saquê, gelo, açúcar ou adoçante

Caipirinha de Tangerina e vodca
1 tangerina descascada em gomos,
1 dose de vodca,
1 pitada de pimenta-jamaicana em pó,
1 pitada de cravo-da-índia em pó, gelo, açúcar ou adoçante

Como identificar um bom vinho
Aprenda a usar os sentidos para reconhecer a qualidade de um vinho

OLHAR
Levante um cálice pela base até a altura dos olhos. É possível identificar cores e tonalidades. As principais tonalidades são as seguintes:
Violácea: própria dos tintos jovens, de acidez saliente. Típica de uvas como a Shiraz
Rubi: também de tintos jovens, mas de acidez menos áspera. A uva é a Cabernet Sauvignon
Escura: é típica dos tintos equilibrados e maduros. A Tinta Pinheira, uva portuguesa, produz vinhos nessa tonalidade

AROMA
Movimente o cálice em círculo e aproxime-o do nariz. A agitação do líquido libera uma grande quantidade de perfumes
SABOR
Sorva um gole, movimente o vinho na boca e preste atenção. Você vai pereceber inesperadas nuances de paladar

Como a uva se transforma em vinho
     

Não se faz vinho de qualquer uva. Só as da espécie Vitis vinifera, bem diferentes das uvas que comemos, são usadas. Elas têm concentração de açúcar maior e, bagos pequenos. Os cachos são grandes e chegam a pesar 1 kg.
                                     

As uvas são esmagadas e o enólogo mistura ao seu suco as Saccharamyces (foto), um microrganismo vivo que transforma o açúcar da uva em álcool.
                                                    

A fermentação é acompanhada cuidadosamente. A temperatura, a acidez, o teor de açúcar e álcool são controlados. O vinho engarrafado passa por um processo de maturação.

                                                                 

Nem todos os vinhos melhoram com o tempo. A maior parte deles é produzida para ser bebida no máximo depois de dois anos de engarrafamento. Só bebidas excepcionais suportam mais de quatro anos.

     Tequila

 

A história da tequila começa ha aproximadamente 200 anos a.C.

 Nos muros da grande pirâmide de Cholula, perto da Ciudad de México, foram encontradas imagens onde os astecas bebiam e saboreavam o que eles acreditavam ser um presente dos deuses, o pulque.

Na época da conquista, quando se esgotou o abastecimento de vinho e brandy, os conquistadores ordenaram que fosse destilada a savia para fazer álcool. Nesta época, os conquistadores usavam chifres de boi oco como copo para tomar as bebidas.

 Por volta de 1519, os registros mais antigos encontrados em murais de antigas cidades em ruínas, atestam que em meados do segundo século da era cristã já se consumia, por ali, o mesmo fermentado que Hermán Cortés.  Depois de verem os astecas tomando-o em seus rituais religiosos e momentos festivos, seus soldados resolveram experimentar.

Os nativos chamavam tal bebida de pulque. Os espanhóis deram à bebida o nome de “aguamiel”. Era de fato um líquido fortemente adocicado, que os astecas preparavam cozinhando a parte central de uma planta de folhas longas e aceradas, erroneamente confundida com o cacto – o Agave

Na verdade, esta planta pertence à família dos lírios e tem na piteira o seu representante brasileiro. Da planta, os espanhóis descobriram que uma e outra tinham origem na região habitada pelos índios Tequilas, um território de 200 quilômetros quadrados no Sudoeste mexicano. Aprofundando-se mais ainda, os espanhóis resolveram destilar aquele fermentado e assim puderam passar à posteridade como os verdadeiros descobridores da tequila.

Inicialmente a tequila foi enquadrada na categoria de whisky.

Bebida Destilada

Só poderá ser chamada de tequila a bebida que for produzida a partir da agave Tequilana Weber em regiões especiais do México como a região de Jalisco, Midroacán, Guanajuato y Mayarit..

 A agave Tequilana Weber, mais conhecida com Agave Azul, é matéria prima da nossa tequila. Pertence a família das xerófilas lírios, botanicamente conhecida como “ amocilidácea”.

 A palavra Agave é derivada do grego que significa “admirável” ou “nobre”.

 A classificação da Tequila pode ser:

Standard, possuindo no mínimo 51% de agave e
Premium, com 100% de agave.

 A tequila se apresenta ainda em 4 subdivisões:

Tequila Branca a mais conhecida responsável por 70% do consumo internacional

Joven abocado vem a ser um blend de várias tequilas e outros ingredientes

Reposado envelhece durante 6 meses

Añejo envelhecida em tonéis de carvalho durante 3 anos, quando adquire uma tonalidade dourada e um sabor realmente extraordinário.

CULTIVO, CORTE E FERMENTAÇÃO

As extensas plantações de agave são semeadas em fila por trabalhadores chamados “jimadores”. Eles passam seus dias trabalhando nos campos, como fizeram seus antepassados há dois mil anos.

 Depois de 8 a 10 anos do cultivo da agave, com uma ferramenta de corte, parecida com uma pá redonda e eficaz, chamada “coa”, o jimador separa do miolo as compridas e pontiagudas folhas azuis de agave.

Parecendo um grande abacaxi branco, este miolo é chamado de Piña ou Cabeza e esse processo de Jima. Num dia típico, o jimador apanha até uma tonelada de piñas pesando entre 30 e 60 kilos cada.

As piñas são levadas a destilarias em burros para serem cozidas com o vapor produzido em grandes fornos de pedra chamado “hornitos”, cujo fogo intenso é mantido pelos próprios jimadores.

 

Depois, são colocadas em moinhos especiais ou usa-se uma roda de pedra de um quarto de tonelada, que rola sobre a polpa de agave cozida, puxada por um burro. O sumo extraído da polpa e colocado em recipientes metálicos e resistentes à pressão para o cozimento (autoclaves). Como em tanques de fermentação, para chegar ao mosto usa-se as leveduras. Desta forma teremos a base da tequila. Depois é fermentado e destilado duas vezes em alambiques de cobre transformando-se em tequila não-refinada.

  

DESTILAÇÃO

São necessárias duas destilações para que essa obra prima seja perfeita. A Tequila passa pela primeira destilação, em alambiques de cobre, para obter maior pureza e concentração. Depois passa pela segunda destilação onde garantirá a qualidade e pureza. Cada destilação leva em média duas horas.

Antes do engarrafamento, a bebida passa por uma filtragem e tem seu teor alcoólico reduzido para cerca de 40º.

Para melhorar a sua maciez, individualidade e aroma, principalmente das marcas tradicionais, o produto destilado é armazenado em barris de carvalho antigo, onde envelhecerá sem ser perturbado.

O período de envelhecimento da tequila determinará a sua classificação: Blanco, Joven Abocado, Repousado e Añejo.

Dicas

Todo bartender, profissional ou de final de semana, tem pequenos segredos e macetes para dar o seu toque pessoal nesta ou naquela receita de drinque. A bem da verdade, nada com muito rigor científico, mas que a cultura popular e a velha sabedoria de boteco consagraram como técnicas no preparo e serviço de bebidas.

Opte por copos de vidro lisos e transparentes.
Só sirva bebidas em copos impecavelmente limpos.
Para lavá-los, utilize detergente neutro e enxague-os bem em água corrente.
Para o seu polimento, utilize-se de um pano que solte menos fiapos possível e faça-o enquanto o copo ainde estiver umedecido.
Se ao servir uma cerveja ou chopp, as paredes internas do copo ficarem cheias de bolhas, é sinal de que o copo foi mal lavado ou mal enxaguado.
Nunca deixe facas, garfos ou qualquer outro objeto pontiagudo com as pontas viradas para cima. Você poderá ferir-se.
ambém é mais higiênico deixar colheres com a concha virada para baixo.
As duas dicas acima referem-se à talheres que estejam colocados em pequenos containers ou qualquer outro local onde fiquem posicionados em pé.
Nunca use copos ou qualquer outro recipiente de vidro para pegar gelo de dentro de baldes e depósitos de gelo. Mantenha sempre uma pá ou pinça próprio para isto. O copo poderá quebrar-se com o atrito e os cacos poderão misturar-se ao gelo.
Para gelar previamente taças de champagne, utilize um balde
de gelo para espumantes, ponha 1/3 de gelo e complete com água. Introduza os copos no balde com as bordas para baixo,por 5 minutos.
Para gelar outros copos, especialmente para servir coquetéis mexidos, utilize o mesmo processo acima ou ponha o gelo e a água diretamente no copo a ser utilizado até que esteja gelado, então esvazie-o e sirva o drinque.

Drinks para Tempo Frio

 

Nesta seção você encontrará drinks adequados para dias frios ou regiões frias

 

Café Amaretto

Ingredientes :
1/2 dose de licor Amaretto;
1/2 dose (ou mais) de licor de café;
1 xícara de licor bem quente;
creme de chantilly.

Modo de Fazer
Coloque os licores numa xícara com o café quente e cubra com o creme de chantilly. Sirva imediatamente.

 

 

 

Café Flambado

Ingredientes :
8 doses de conhaque;
2 colheres (chá) de açúcar;
8 cravos-da-índia;
3 gotas de essência de baunilha;
2 ou 3 paus de canela;
casquinhas de laranja e limão cortadas em espiral;
1/2 litro de café bem quente.

Modo de Fazer
Despeje o conhaque numa tigela, de preferência de prata. Adicione metade do açúcar, os cravos-da-índia, a baunilha, a canela e as casquinhas de limão e de laranja. Mexa bem. Adicione o café quente. Encharque de conhaque a segunda colher de açúcar e flambe-a. Mergulhe o açúcar em chamas, na tigela, de modo que o fogo se espalhe por toda a superfície do coquetel. Sirva em xícaras.

Café Irlandês

Ingredientes :
1 colher (chá) de açúcar;
1 e 1/2 dose de uísque;
5 doses de café forte bem quente;
creme de leite.

Modo de Fazer
Escalde um copo de vinho com água quente. Coloque o açúcar no copo e, em seguida o uísque. Complete com o café, deixando espaço para o creme de leite no copo. Mexa bem e deixe o líquido descansar um pouco. Então, vá adicionando o creme de leite, derramando-o bem devagar com uma colher. É indispensável que o creme de leite flutue na superfície do coquetel, sem se misturar a ele. Sirva em seguida.

 Chamas de Conhaque

Ingredientes :
2 doses de conhaque
1 pedacinho de casca de laranja
1 pedaço de casca de limão
1 cubinho de açúcar

Modo de Fazer :
Ponha o açúcar no fundo da coqueteleira; junte os outros ingredientes; misture com uma colher de cabo longo. Depois ponha fogo; deixe queimar até o fogo se apagar; sirva em cálice, após o jantar.

Coquetel Punk

Ingredientes :
300 ml de vodka;
açúcar.

Modo de Fazer
Coloque a vodka numa panela e leve ao fogo. Enquanto isso, pegue uma baixela de inox e dentro coloque uma pequena camada de açúcar. Fervida a vodka, despeje-a na baixela, sobre o açúcar. Ateie fogo. Pronto! Agora é só passar o dedo no açúcar, e com ele aceso, leve-o à boca.

Crambambali

Ingredientes :
rodelas de limão;
1 travessa;
pinga;
cascas de canela e rapadura;

Modo de Fazer
Encha a travessa de pinga, adicionando os demais ingredientes. Ateie fogo na pinga, deixando esquentar bastante. Apague, coe e sirva em canequinhas de gomo de bambu.

Demônio

Ingredientes:

1 dose de vinho do porto
1 dose de vermute seco
2 gotas de suco de limão
gelo picado

Modo de Fazer:
Ponha todos os ingredientes na coqueteleira com gelo picado; agite bem e sirva logo em seguida

Ferrão

Ingredientes :
1 e 1/2 dose de sua bebida destilada favorita;
1 dose de creme de menta branco ou peppermint shnapps.

Modo de Fazer
Agite os ingredientes numa coqueteleira com gelo picado e coe para um copo de coquetel. Sirva com gelo. O conhaque funciona bem como bebida-base desse coquetel.

Grogue

Ingredientes :
2 doses de rum;
1 colher (sopa) de suco de limão;
1 colher (chá) de açúcar;
6 cravos-da-índia;
1 casquinha de canela.

Modo de Fazer
Misture os ingredientes, exceto a fatia de limão, numa caneca refratária. Adicione água fervente e mexa para dissolver o açúcar. Decore com a fatia de limão.

Jacinto

Ingredientes :
marshmallow;
1 litro de café forte bem quente;
1 litro de chocolate quente;
1 dose (ou mais ) de licor de café.

Modo de Fazer
Reserve o marshmallow e misture os demais ingredientes num "réchaud". Sirva em canecas, adicionando marshmallow a gosto em cada uma.

Molotov

Ingredientes :
chantilly;
cognac;
chocolate meio amargo ralado;
Modo de Fazer
Preencha 2/3 de uma taça short drink com cognac. Ponha o chantilly na taça, formando um círculo rente à borda da mesma, e polvilhe o chocolate sobre o chantilly. Ateie fogo e beba!

Quentão

Ingredientes :
3 garrafas de água fervida;
3 xícaras (chá) de açúcar;
3 colheres (sopa0 de mel;
2 colheres (chá) de erva-doce;
5 cravos;
4 paus de canela;
3 garrafas de pinga.

Modo de Fazer
Ferver durante 10 mins a água, o mel, a erva-doce, o cravo e a canela. Acrescentar então a pinga.

Quentão de Morangos

Ingredientes:
3 litros de água
2 Kg de açúcar
2 Kg de morangos
150 gr de gengibre
50 gr de cravo e canela (misturados)
1,5 litros de cachaça

Modo de fazer
Coloque em um caldeirão a água e o gengibre e leve ao fogo. Quando iniciar fervura, coloque os morangos inteiros, o açúcar, o cravo e a canela, e deixe ferver por aproximadamente 20 minutos. Após, coloque a cachaça e deixe ferver por mais 5 minutos. Coe e sirva bem quente.

DRINKS DE BAIXAS CALORIAS

Além das receitas abaixo ser uma ótima opção para o seu happy hour, elas contém baixas calorias proporcionando prazer sem se preocupar com o ganho de peso.

Collins
(80 calorias)

1 dose de gim
3 colheres (chá) de suco de limão
1 ½ colher (chá) de açúcar
club soda
1 rodela de limão

Coloque numa coqueteleira o gim, o suco de limão e o açúcar. Junte cubos de gelo e agite bem.  Coe para um copo altoe complete com club soda. Por último, decore com a rodela de limão.
Você também pode substituir o gim por igual quantidade de Rum.(70 calorias)

 

Planter's Punch

1 dose de rum ouro
2 colheres (sopa) de suco de limão
suco de laranja sem açúcar
1 rodela de limão

Coloque o rum e o suco de limão num copo alto. Junte gelo picado e complete com suco de laranja. Guarneça com a rodela de limão.

 


Spritzer
calorias) (90)

3/4 xícara de vinho branco seco
club soda ou soda cristal
1 casca de limão

Ponha o vinho num copo alto. Encha com cubos de gelo e compete com club soda (ou soda cristal). Guarneça com a casca de limão.

DRINKS DO INFERNO

Maria Sanguinária 
Ingredientes :
1 dose de vodka 
2 doses de suco de tomate 
1/2 dose de suco de limão 
1 gota de molho inglês 
sal e pimenta a gosto 
gelo picado. 
Modo de Fazer:
Ponha todos os ingredientes na coqueteleira; agite bem e sirva em seguida

Chama de Conhaque 
Ingredientes :
2 doses de conhaque 
1 pedacinho de casca de laranja 
1 pedaço de casca de limão 
1 cubinho de açúcar 
Instruções :
Ponha o açúcar no fundo da coqueteleira; junte os outros ingredientes; misture com uma colher de cabo longo. Depois ponha fogo; deixe queimar até o fogo se apagar; sirva em cálice, após o jantar. 

The Devil 

Ingredientes :
1 dose de conhaque 
1 dose de licor de menta verde 
gelo picado 
1 pitadinha de pimenta vermelha 
Modo de Fazer :
Ponha o conhaque e o licor na coqueteleira com pouco gelo picado; agite bem. Despeje no cálice e por cima ponha a pitadinha de pimenta vermelha; sirva logo.

Bomba H 
Ingredientes :
1/2 dose de chartreuse amarela 
1/2 dose de chartreuse verde 
1/2 dose de conhaque 
1/2 dose de uísque 
gelo picado Instruções 
Ponha os ingredientes na coqueteleira com gelo picado e agite bem; sirva em seguida. 

Terremoto 
Ingredientes :
1 dose de gim 
1 dose de uísque 
1 dose de pernod (pastis, ou similar) 
gelo picado 
Modo de fazer: 
Ponha os ingredientes na coqueteleira com gelo picado e agite bem; sirva em seguida.

DRINKS SEM ÁLCOOL

 STRAWBERRY MILK

Misture 1 xícara (1/4 litro) de leite com 1/4 de xícara (50g) de açúcar. 

Acrescente 1 xícara de chá (125g) de morango picado, um pouco de açúcar baunilhado e algumas gotas de suco de limão. 

Misture tudo. 

Coloque cubos de gelo em um copo alto e despeje por cima e sirva bem gelado

YOGURT SORBET

Bata rápido no liquidificador 3/4 de xícara (175g) de iogurte 

com 1/2 xícara de chá de suco de maçã, 

2 colheres de chá de mel 

e um borrifo de suco de limão. 

Sirva com canudinho.

ORANGE DRINK

Coloque o suco de 2 laranjas em um copo grande,

 complete com 4 colheres de sopa (6cl) de suco de maçã 

e 4 colheres de sopa (6cl) de água com gás. 

Sirva decorado com uma rodela de laranja

DRINQUES DE RUM

DAIQUIRI CRIOULO

1 1/2 Medidas de Rum Branco
1 Medida de Suco de Limão
1/2 Medida de Açucar
1/2 Medida de Grenadine

Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.Agite bem e coloque em copo altoDecore com cerejas.

 

 PRESIDENTE

1 1/2 Medidas de Rum Branco
1/4 Medida de Suco de Laranja
1/4 Medida de Grenadine

Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.Agite bem e coloque em copo alto. Decore com uma rodela de limão

TIK JOE

1 Medida de Rum Branco
1 Medida de Campari
Suco de 1 Laranja

Coloque os ingredientes em um MIX GLASS. . Misture bem. Coloque em um copo alto. com gelo. Decore com uma fatia de laranja.

CAMALEON

1/2 Medida de Rum Branco
1/2 Medida de Curacao Azul
Suco de 1 Laranja

Prepare um copo short drink com gelo.Coloque os ingredientes vagarosamente.

SUEÑOS ROSAS

1 Medidas de Rum Branco
1 1/2 Medidas de Leite
1 1/2 Medidas de Suco de Morango

Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.Agite bem e coloque em taça para coquetel. Decore com morangose folhas de menta.

 

 

SERPENTINAS

1/2 Medida de Rum Branco
1/4 Medida de Curacao Azul
1/2 Medida de Suco de Laranja
1/4 Medida de Suco de Limão
Gelo

Coloque no copo de vinho todos os ingredientes. Decore com uma folha de hortelã e uma cereja.

 

 

GUACANO

Gelo Picado
1 Medida de Rum Branco
1/2 Medida de Curacao Azul
1/2 Medida de Suco de Piña

 

 

 Coloque os ingredientes numa taça de champagne . Decore a gosto.

DRINQUES DE TEQUILA

 ACAPULCO DE NOCHE

2 Medidas de Tequila
1 Medida de Rum Branco
3 Medidas de Suco de Laranja
Açucar Negro

 Cruste a borda da taça com açúcar 
Coloque 2 cubos de gelo e depois os ingredientes.

 

 ESPUELA ROJA

2 Medidas de Tequila
1 Medida de Whisky
1/2 Medida de Cinzano Tinto
1 Golpe de Grenadine
Soda

 Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.Agite bem e coloque em copo tipo Long Drink. Complete com soda

 

MEXICANA

3/4 Medida de Tequila
1/2 Medida de Suco de Limão
1/8 Medida de Suco de Piña
1/8 Medida de Grenadine

Misture os ingredientes na coqueteleirta com gelo

Decore a borda do copo com uma estrela decorada de limão.

 

MEXICOLA

1 Medida de Tequila
Suco de 1/2 Limão
Coca-Cola

Coloque os ingredientes em um copo long

com cubos de gelo.Complete com Coca-Cola.

 

TEQUILA SUNRISE

1 Medida de Tequila
2 Medidas de Suco de Laranja
1/2 Medida de Grenadine
1/2 Rodela de Limão

Coloque tudo menos a grenadine na coqueteleira. Depois de colocado o drink no copo long drink, coloque lentamente a greadine. e cubos de gelo.Decore.

 

 

 

 

 

 

ADELITA

3 Medidas de Tequila
1/2 Medida de Kahlua
Suco de 1/4 de Limão

 

 

 

 Coloque os ingredientes numa

 coqueteleira, misture bem.

 

TEQUILA MACHO

4 Medidas de Tequila
1 Medida de Suco de Limão
1/2 Medida de Soda
Sal

Misture a Tequi;a e o suco de limão no MIX GLASS.Passe na borda da taça para coquetel o sal, Coloque lentamente a soda.

DRINQUES DE VODKA

AMANHECER MOSCOVITA

2 Medidas de Vodca
1/3 Medida de Menta Branca
1/4 Medida de Curacao Azul

Coloque o Curacao em uma taça de coquetel. Acrescente gelo. Coloque a menta e a vodca .Decore com cereja e folhas de menta.

 VODKATINI

2 1/2 Medidas de Vodka
1/2 Medida de Vermut Seco

Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.

 Agite bem. Coloque numa taça para coquetel.

 Decore com uma rodela de limão.

GREEN DEMON

1 Medida de Vodka
1 Medida de Rum Claro
1 Medida de Licor de Melão
Limonada

Coloque tudo na coqueteleira. Agite ben.Coloque em uma taça de coquetel com gelo picado.Complete com limonada fria.

COCTEL CRIOLLO

1 Medida de Vodka
1 Medida de Malibu
1 Medida de Suco de Laranja
1 Golpe de Grenadine

Misture os ingredientes no MIX GLASS. Coloque num copo alto. Decore com uma cereja.

PELUSA

2 Medidas de Vodka
2 Medidas de Suco de maracujá
1/2 Medida de Curacao

Misture na coqueteleira com gelo.

 Agite bem e coloque em um copo alto

decore com uma fatia de laranja.

 

 

 

 

 RUSO BLANCO

1 Medida de Vodka
1 Medida de Creme de Cacau
1 Medida de Creme de Leite
Noz Moscada

Misture tudo na coqueteleira com gelo. Coloque em copo de chopp.

OASIS

1 Medida de Vodka
1/2 Medida de Licor de Cherry
1/4 Medida de Suco de Limão
3 Medidas de Suco de Melancia

Coloque cubos de gelo no copo alto.

 Decore com uma fatia de laranja e cereja.

DRINQUES DE WHISKY

  MOJACAR

3 Medidas de Whisky
1/2 Medida de Grand Marnier Rouge
1/2 Medida de Cinzano
1/2 Medida de Cointreau

Coloque os ingredientes em um copo misturador.

 Sirva em taça de coquetel com gelo.

TORNADO

1 Medida de Whisky
1 Medida de Gin
1 Medida de Menta
Suco de 2 limões

 Coloque os ingredientes na coqueteleira com gelo.

Agite bem e coloque em copo alto.

 Decora com folhas de menta

HURACAN

2 Medidas de Whisky
Suco de 1/2 Limão
Suco de 1/2 Laranja

Coloque 3 cubois de gelo em copo alto.

Misture com uma colher misturadora e

Decore com kiwi e limão.

WILD IRISH ROSE

1 Medida de Whisky
1 gota de Grenadine
Suco de 1/2 Limão
Soda

Coloque o Whisky, a Granadine e o suco de limão em um copo alto com gelo. Misture e complete com soda.

WHISKY FIX

2 Medidas de Whisky
1/2 Medida de Suco de Limão
1 colher de Açucar
Soda

Coloque os ingredientes em um copo alto com gelo picado.Decore com uvas ou outra fruta do tempo.

JOHNNIE COOL

2 Medidas de Whisky
1 Medida de Pepermint
Refresco Lima Limão

Coloque o Whisky e o Pepermint em um copo alto com gelo. Complete com o refresco Lima Limão. Misture bem e decore com folhas de menta.

MAD SUMMER

3 Medidas de Whisky
1 Medida de Tequila
3 Medidas de Suco de acerola

Misture os ingredientes no copo misturador.Misture bem sirva no copo para coquetel com cubos de gelo. Decore com uma frutinha, como a acerola

SIN REMEDIO

3 Medidas de Whisky
2 Medidas de Run Branco
2 Medidas de Suco de Laranja
1 Medida de Soda

Misture os ingredientes na coqueteleira com gelo. Agite bem e coloque em copo baixo. tipo Short Drink . Complete com a soda e decore com rodelas de limão.

DRINKS DO CÉU

Sonho 
Ingredientes :
2 doses de conhaque 
1 dose de curaçau 
1 gota de pernod 
gelo picado 
Modo de Fazer:
Ponha os ingredientes na coqueteleira com gelo picado; agite bem e sirva.
Um raspão na lua
Ingredientes :
1/2 dose de conhaque 
1/2 dose de licor de pêssego
1/2 dose de quinquina 
3 gotas de pernod 
gelo picado

 Modo de Fazer:

Ponha os ingredientes na coqueteleira com gelo picado; agite bem e sirva em seguida.
Asas brancas 
Ingredientes :
2 doses de gim 
1 dose de licor de menta 
gelo picado 
Modo de Fazer:
Ponha os ingredientes na coqueteleira, com o gelo picado; agite bem e sirva em seguida.
Asas de anjo 
Ingredientes :
1/2 dose de licor de violetas 
1/2 dose de xarope de morango 
1/2 dose de marasquino 
Modo de Fazer:
Ponha os ingredientes num cálice alto de licor, na ordem em foram enumerados, cuidadosamente, para que não se misturem; sirva.
Beijo de anjo 
Ingredientes :
1/2 dose de licor de cacau 
1/2 dose de licor de ameixas 
1/2 dose de licor de violetas 
1/2 dose de creme de leite fresco 
Modo de Fazer:
Ponha os ingredientes num cálice alto, cuidadosamente, para que se não misturem e sirva em seguida.
Palmadinha de anjo 
Ingredientes :
1 e 1/2 dose de licor de cacau 
1/2 dose de creme de leite fresco 
suco de uma lima 
gelo picado 
Modo de Fazer:
ponha os ingredientes na coqueteleira com gelo picado; agite bem e sirva em seguida.

Licores

 Cravinho

Ingredientes :
2 litros de cachaça ou vodka;
1 litro de mel de abelha;
125g de cravo-da-índia;
500g de açúcar cristal;
1,5 litro de água;
Modo de Fazer :
Ferva em fogo brando c/ tampa o cravo, o açúcar e a água durante 2 dias, 2 horas por dia, para a bebida ir curtindo. Depois, o líquido deve ser coado com o auxílio de um pano. Junte a cachaça e o mel. Guarde em garrafas de vidro.

 Licor de Amêndoas

Ingredientes :
1 garrafa (cerveja) de vinho Palmeiras licoroso;
1/2 kg de açúcar;
1 copo de pinga;
1 copo de água;
1 colher de (sopa) de essência de baunilha;
1/2 vidro de essência de amêndoa.

Modo de Fazer :
Bater tudo no liqüidificador e engarrafar. Lembre-se de que quanto mais velho, melhor.

Licor de Anisette

Ingredientes :
2 litros de álcool;
20 gotas de essência de anis;
3 kg de açúcar.

Modo de Fazer :
Dissolver o açúcar em 1 litro e 1/2 de água fervida, fazendo-o em fogo brando. o anis é dissolvido no álcool para não toldar o licor. Juntar então o xarope e filtrar.
Essa quantidade dá para 5 litros.

Licor Básico de Frutas

Modo de Fazer :
Coloque a fruta escolhida em infusão no álcool, de 4 a 5 dias. Coe e meça. Para cada medida de infusão, coloque duas de açúcar, fazendo uma calda.
Misturar a infusão coada e guardar em garrafas fechadas. Sirva apenas depois de 10 dias

Licor de Cacau

Ingredientes :
2 litros de álcool;
100 g de cacau;
1 fava de baunilha;
1 kg de açúcar cristal;
1/2 litro de água.

Modo de Fazer
Misture 1 litro de álcool, o cacau e a baunilha. Deixe em infusão por 8 dias. Juntar mais um litro de álcool.

Licor de Café

Ingredientes:
1 xícara de café em pó
1/2 litro de cachaça
2 xícaras de açúcar
1 colher (chá) de baunilha

Modo de Fazer:
Misture o café em pó com a cachaça e 1/2 xícara de água, guardando numa garrafa que feche bem. Deixe macerar por 8 dias. Após este tempo, misture o açúcar com 1/2 xícara de água e leve ao fogo, deixando levantar fervura e cozinhando por alguns minutos. Junte a baunilha e acrescente à mistura de café com cachaça misturando bem. Coe e passe para uma garrafa bem limpa, tampando e deixando descansar por mais 3 semanas antes de beber.

Licor de Caroço de Pêssego

Ingredientes :
1 litro de álcool;
30 ou mais caroços de pêssegos, de preferência amarelos e ligeiramente amassados;
1 kg de açúcar;
1 1/2 litro de água filtrada.

Modo de Fazer:
Deixe os caroços em infusão no álcool numa vasilha de vidro, durante cerca de 10 dias. Em seguida, preparar uma calda rala como o açúcar. Misture a calda fria com a infusão filtrada e depois coloque em garrafas.

Drinks & Coquitéis

4 Bis

3/8 caninha

1/8 licor de cacau

2/8 suco de manga

1 colher de bar de açúcar

PREPARO

Bater no liquidificador e servir com cubos de maçã ácida no palito dentro do copo.

A Bicicleta

2 doses de vermute seco

2 colheres (chá) de creme de cassis (licor francês), de groselha pretas, ‘a venda em importadoras)

Champanhe ou vinho espumante, gelado

Uma fatia de laranja, se quiser

PREPARO

Despeje o vermute e o licor num copo alto com gelo. Encha de champanhe ou vinho espumante. Enfeite com a fatia de laranja.

Á James Bond

1 ¼ medida de gin

1 ¼ medida de vermute seco

1 azeitona

PREPARO

Misture o gin com o vermute e sirva com uma azeitona. Dá 1 do

Abelha Real

2/3 caninha

1/3 de campari

1 carambola

3 cerejas

1 colher de bar de mel

PREPARO

Bater no liqüidificador, coar, servir com gelo e decorar com fatia de carambola no palito dentro do copo.

Aberdeen Angus (coquetel pequeno)

2 doses de scotch whisky
1 dose de Drambuie
1 colher (sopa) de mel
2 colheres (sopa) de suco de limão galego

Misture o uísque, o mel e o suco de limão numa caneca até a mistura ficar homogênea. Aqueça o Drambuie numa concha de metal colocada sobre o fogo. Flambe o Dramuie e despeje-o em chamas na caneca. Mexa vigorosamente e beba na própria caneca

Absinto Suissesse (coquetel pequeno e doce)

1 1/2 dose de Pernod ou outro anis
2 ou 3 gotas de licor de anisete
2 ou 3 gotas de água de flor de laranjeira
1 colher (chá) de creme de menta (de preferência branco) ou peppermint schnapps e 1 clara de ovo

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo e sirva num copo de coquetel

 

Acapulco (coquetel doce)

1 1/2 dose de tequila
1 1/2 dose de rum da Jamaica
3 doses de suco de abacaxi
1 dose (ou menos) de suco de limão-galego ou grapefruit e cubinhos de abacaxi (opcional)

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo, e sirva on the rocks num copo tipo collins, enfeitando com cubinhos de abacaxi fresco.

 

Admiral (coquetel clássico pequeno)

1 dose de bourbon
2 doses de vermute seco
suco de 1/2 limão grande e casquinha de limão

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo. Sirva on the rocks num copo tipo old fashioned e decore com a casca de limão

 

 

Adonis (coquetel pequeno)

2 doses de sherry seco
1 dose de vermute doce
2 pitadas de angustura ou bitter de laranja

Mexa os ingredientes com gelo e passe para um copo de coquetel.

 

Affinity (coquetel clássico doce pequeno)

1/2 dose de vermute seco
1/2 dose de vermute doce
1/4 dose de creme (ou licor) de violeta

Agite na coqueteleira, com gelo, e coe sobre um copo de coquetel

 

Akvavit Clam (coquetel grande)

3 doses de akvavit dinamarquesa
1 1/2 dose de suco de mariscos espremidos
1 colher (chá) de molho inglês, 1 pitada de sal, 1 pitada de pimenta do reino e 1 pitada de páprica picante.

Coloque os ingredientes num copo para mexer e misture-os vigorosamente. Deixe gelar e sirva num copo tipo old fashioned.

 

Alaska (coquetel clássico pequeno)

2 doses (ou mais) de gim seco
1/2 dose (ou menos) de Chartreuse verde
1/2 dose de sherry seco (opcional) e casquinha de limão

Coloque os ingredientes num copo para mexer, adicione gelo, misture bem e coe sobre um copo de coquetel. Decore com casquinha de limão.

Alcudia (coquetel pequeno)

2 doses de gim seco
1 dose de Galliano
1 dose de creme (ou licor) de banana
1 dose de suco de grapefruit e casquinha de grapefruit

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel. Decore com casquinha de grapefruit.

 

Ale Flip (Flip de cerveja Ale) (coquetel grande)

1 litro de cerveja do tipo ale ou de chope escuro
2 claras de ovo
4 gemas de ovo
4 colheres (sopa) de açúcar e noz-moscada em pó

Aqueça a cerveja em uma panela, em fogo baixo, até a fervura. Bata as claras em neve. Bata as gemas em separado e misture-as com as claras e o açúcar. Despeje o creme resultante na cerveja, lentamente, sempre mexendo bem. Troque o coquetel de uma panela para outra várias vezes, até criar uma espuma. Sirva em canecas, polvilhando a superfície com noz-moscada

 

Alexander (coquetel pequeno doce)

1 1/2 dose de conhaque ou armagnac
1 dose de creme de cacau escuro
1 dose de creme de leite
noz-moscada em pó

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel. Polvilhe com a noz-moscada

 

 

 

 

 

Alfonso Cocktail (coquetel clássico grande)

2 colheres de sopa de Dubonet
1 gota de angustura ou bitters Péychaud
1 colher de chá cheia de açúcar
champanha e casquinha de limão

Coloque o açúcar no centro de de uma taça de champanha grande, e borrife a angustura por cima. Despeje o Dubonnet e complete com um cubo de gelo e com champanha bem gelado. Decore com a casquinha de limão.

 

Alfonso Special (coquetel clássico pequeno)

1 1/2 dose de licor Grand Marnier
3/4 dose de gim seco
3/4 dose de vermute seco
4 gotas de vermute doce
1 gota de angustura

Mexa os ingredientes com gelo e coe para um copo de coquetel.

 

Algonquin (coquetel pequeno)

2 doses de uísque tipo rye
1 dose de vermute seco
1 dose de suco de abacaxi

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo, e sirva on the rocks num copo tipo old fashioned.

 

All-White Frappé (coquetel pequeno doce)

1 dose de creme de menta branco
1 dose de anisette
1 dose de suco de limão

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel cheio de gelo picado.

 

Amaretto Heartwarmer (coquetel pequeno)

2 doses de licor Southern Comfort
1 dose de vermute seco
1 dose de licor amaretto
2 amêndoas descascadas
1 caroço de pêssego esmagado
1/2 colher (chá) de açúcar

Aqueça o Southern Comfort. Adicione as amêndoas, o caroço de pêssego, o açúcar e mexa. Deixe esfriar. Adicione o amaretto e mexa. Por último, coe num copo tipo old fashioned com bastante gelo.

Ambassador (coquetel grande)

2 doses de tequila
suco de laranja fresco, a gosto
1 colher (chá) de açúcar diluído em água e 1 fatia de laranja

Mexa os ingredientes e sirva on the rocks num copo tipo old fashioned ou collins. Enfeite com a fatia de laranja

Amer Picon Cocktail (coquetel pequeno)

3/4 dose de Amer Picon
3/4 dose de vermute tinto doce

Agite os ingredientes na coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel previamente gelado.

 

American Beauty (coquetel clássico pequeno doce)

3/4 dose de conhaque
3/4 dose de vermute seco
3/4 dose de suco de laranja
1/4 dose de creme de menta ou peppermint shnapps, 1 gota de grenadine
1 dose de vinho do Porto

Coloque todos os ingredientes numa coqueteleira (menos o vinho do Porto) e acrescente gelo picado. Agite bem e coe para um copo de coquetel ou old fashioned. Incline ligeiramente o copo e, com muito cuidado, despeje o vinho do Porto pela borda, de maneira que ele flutue na superfície do coquetel sem se misturar.

 

Americano (coquetel clássico grande)

3/4 dose de Campari
3/4 dose de vermute tinto doce
soda a gosto
1 fatia de laranja

Mexa os ingredientes num copo tipo old fashioned cheio de gelo. Decore com a fatia de laranja. Pode ser utilizado também um copo de vinho tipo ballon.

Atholl Brose (coquetel pequeno)

1 1/2 dose de scotch whisky
1 1/2 dose de mel claro
1 1/2 dose de creme de leite

Aqueça os ingredientes num pirex, sempre mexendo bem. Deixe esfriar e gele.

Bacardi Special (coquetel clássico pequeno)

2 doses de rum bacardi
¾ doses de gim
suco de 1 limão pequeno
1 gota de grenadine
½ colher (chá) de açúcar

Agite os ingredientes (menos o rum) numa coqueteleira com gelo. Adicione o rum, agite e coe num copo de coquetel

Baltimore Egg Nog (coquetel grande)

1 dose de de conhaque ou outro brandy
1 ½ dose de vinho madeira
½ dose de rum da jamaica
2 colheres (chá) de açúcar diluído em água
1 ovo
4 doses de leite fresco
2 doses de creme de leite
noz-moscada em pó

Agite os ingredientes vigorosamente numa coqueteleira com gelo. Coe para um copo tipo collins, complete com leite puro e polvilhe com a noz-moscada

Banana Bird (coquetel pequeno)

1 dose de bourbon
2 colheres (chá) de creme (ou licor) de banana
2 colheres (chá) de licor triple sec (de preferência Contreau)
1 dose de creme de leite

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel

Batida (coquetel pequeno)

2 doses de cachaça
1 dose de suco de limão ou qualquer outra fruta
1 colher de sopa de açúcar

Agite o suco e o açúcar numa coqueteleira, com gelo. Adicione a cachaça e agite novamente. Coe para um copo de coquetel ou para um copo tipo old fashioned cheio de pedras de gelo

 

Beer Sangree (sangria de cerveja (coquetel grande)

¼ de litro de cerveja forte, do tipo ale ou chope escuro
1 ou 2 colheres (chá) de açúcar, diluído ou não em água, e noz-moscada em pó

Gele a cerveja ligeiramente. Coloque o açúcar num copo tipo collins e adicione um pouco de água. Mexa e adicione a cerveja e polvilhe com a noz-moscada

Bellini (coquetel clássico grande)

1 garrafa de champanha
3 ou 4 pêssegos e pitadas de açúcar

Amasse os pêssegos e o açúcar até obter um purê bem ralo. Gele o champanha e misture-o ao purê numa poncheira, mexendo bem. Sirva em copos elegantes

 

Bermuda Rose (coquetel clássico pequeno)

1 ½ dose de gim
1 colher (sopa) de suco de limão galego
2 ou 3 gotas de grenadine

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo, e sirva on the rocks, num copo tipo old fashioned.

 

Between the sheets (entre os lençóis) (coquetel clássico pequeno)

1 dose de Cointreau
1 dose de conhaque
1 dose de rum claro
1 dose de suco de limão-galego (opcional) e casquinha de limão

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo picado. Coe para uma taça de champanha e decore com a casquinha de limão

 

Big Apple (coquetel grande)

1 maçã
3 doses de brandy de maçã
2 doses de suco de laranja
1 dose de suco de limão

Corte uma tampa de maçã, retire os caroços e a polpa de modo a abrir espaço para o drique. Coloque a maçã no congelador por 15 minutos. Enquanto ela gela, coloque os demais ingredientes num copo para mexer, adicione a polpa retirada da maçã e misture bem. Coe para a maçã e misture bem. Coea para a maçã e sirva com canudos

 

Bishop, The (o bispo) ( coquetel grande)

1 laranja grande
12 cravos-da-índia
1 litro de vinho do Porto barato,
1 colher (sopa) de mel,
1 colher (chá) de pimenta-da-jamaica (opcional)
algumas gotas de conhaque

Espete os cravos na laranja e asse-a em forno baixo por cerca de meia hora. Corte a laranja, já assada, em quatro partes, coloque-a numa panela e adicione os demais ingredientes. Cozinhe tudo em fogo bem baixo, durante 20 minutos, sem deixar ferver. Sirva em copos tipo toddy, preaquecidos

 

Black Russian (coquetel clássico pequeno)

1 1/2 dose de vodca
3/4 dose de licor de café Kahlua, Tia Maria ou similar

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel.

 

Black Velvet (coquetel grande)

Partes iguais de champanha ou outro vinho espumante (bem seco) e cerveja preta forte

Gele bem os dois ingredientes e coloque-os simultaneamente num jarro. Sirva nos copos mais altos que encontrar em seu bar

 

Blended Comfort (coquetel grande)

1 dose de Southern Comfort
2 doses de bourbon
1/2 dose de de vermute seco
1 dose de suco de laranja
2 colheres (sopa) de suco de limão
4 doses de gelo picado
1/4 de pêssego (sem casca)
1 fatia de pêssego
1 fatia de laranja

Coloque os ingredientes, menos o gelo, num copo para mexer. Misture-os lentamente por cerca de 10 ou 15 segundos. Coloque o gelo num copo tipo collins e coe para o coquetel sobre ele. Decore com as fatias de pêssego e laranja

Blue Blazer (coquetel clássico pequeno)

1 colher (chá) de açúcar ou 1 colher (sopa) de mel
4 doses de scotch whisky e
casquinha de limão ou noz-moscada em pó

Aqueça duas canecas de estanho, ou metal, daquelas usadas para cerveja, com capacidade para 1/4 de litro cada uma. Numa das canecas, dissolva o açúcar (ou mel) em três doses de água fervente. Coloque o uísque na outra caneca e flambe-o. Passe o uísque em chamas de uma caneca para outra, continuamente, de modo a formar uma corrente de fogo. Quando as chamas se apagarem, despeje o coquetel num copo de vinho aquecido. Decore com a casquinha de limão ou polvilhe com a noz-moscada.

 

Bossom Caresser (coquetel clássico)

1/2 dose de vinho madeira
1 dose de brandy (ou licor) de abricó
1 colher (chá) de suco de limão
1 gota de grenadine

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel

 

Bourbon Cocktail (coquetel pequeno)

2 doses de bourbon
1 dose de suco de limão
1/3 dose de curaçau
1/3 dose de licor Bénédictine
1 pitada de angustura

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo picado, e coe para um copo de coquetel, ou sirva on the rocks, num copo tipo old fashioned

 

Brandied Ginger (coquetel pequeno doce)

1 dose de conhaque
1/2 dose de brandy de gengibre ou vinho de gengibre
1 colher (chá), ou mais, de suco de limão galego
1 colher (chá) de suco de laranja
1 pedaço de gengibre e chocolate granulado

Separe o pedaço de gengibre e o chocolate. Agite os demais ingredientes numa coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel. Polvilhe o chocolate e decore com o pedaço de gengibre.

 

Brave Bull (coquetel pequeno)

1 dose de tequila
1 1/2 dose de licor de café Kahlua, Tia Maria ou similar

Misture os ingredientes num copo para mexer e sirva on the rocks num copo tipo old fashioned.

 

Bronx (coquetel clássico pequeno)

1 1/2 dose de gim
1/2 dose de vermute seco
1/2 dose (ou menos) de vermute tinto doce
1/2 dose de suco de laranja
1/2 dose de suco de limão (opcional)

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo. Coe para um copo de vinho ou sirva on the rocks num copo old fashioned

Buck, The (coquetel clássico grande)

1 1/2 dose de conhaque
1/2 dose de suco de limão
3/4 dose de creme de menta, ginger ale ou soda limonada e algumas uvas descaroçadas

Separe o ginger ale (ou soda limonada) e agite vigorosamente os demais ingredientes numa coqueteleira, com gelo picado. Coe para um copo tipo collins cheio de pedras de gelo, complete com o ginger ale (ou soda limonada), mexa com a colher de bar e enfeite com as uvas.

 

Bullshot (coquetel clássico grande)

2 doses de vodca
4 doses de caldo de carne
1 colher (chá) de molho inglês
1 gota de molho de pimenta (Tabasco ou similar), opcional
1 pitada de páprica picante, sal a gosto
suco de 1/2 limão e 1 fatia de limão

Coloque os ingredientes num copo para mexer, adicione bastante gelo e misture vigorosamente. Coe para um copo tipo old fashioned, com uma pedra de gelo. Decore com a fatia de limão.

 

Burgundy Cocktail (coquetel pequeno doce)

3 doses de vinho borgonha
1 dose de conhaque
3 ou 4 gotas de marasquino
1 fatia de limão ou uma cereja

Separa o limão (ou a cereja) e misture os demais ingredientes, com gelo, num copo para mexer. Coe para um copo de coquetel e decore com a fatia de limão (ou a cereja)

 

Byrrh Cocktail (coquetel pequeno)

1/2 dose de uísque tipo rye
1/2 dose de Byrrh ou Dubonnet
1/2 dose de vermute seco

Agite os ingredientes numa coqueteleira, com gelo, e coe para um copo de coquetel

 

Café Amaretto (coquetel grande)

1/2 dose de licor Amaretto
1/2 dose (ou mais) de licor de café
1 xícará de café bem quente
creme de chantilly

Coloque os licores na xícara de ca Café Brûlot (café flambado) (coquetel grande)

1/2 litro de café bem quente
2 colheres (chá) bem cheias de açúcar
casquinhas de laranja e limão cortadas em espiral
8 cravos-da-índia
3 gotas de essência de baunilha
2 ou 3 paus de canela

Despeje o conhaque numa tigela, de preferência de prata. Adicione uma das colheres de açúcar, os cravos, a baunilha, a canela e as casquinhas de limão e laranja. Mexa bem. Adicione o café quente. Encharque de conhaque a segunda colher de açúcar e flambe-a. Mergulhe o açúcar, em chamas, na tigela, de modo que o fogo se espalhe por toda a superfície do coquetel. Sirva em pequenas xícaras.fé e cobra com o creme de chantily

Batidas

Batida de Abacaxi

3 doses de pinga;
1 copo de suco de abacaxi;
1 colher (sopa) de caldo coado de limão;
1 colher (chá) açúcar;
2 colheres (sopa) de gelo grosseiramente picado.

Modo de fazer :
Coloque todos os ingredientes numa coqueteleira e bata por alguns minutos.

Batida de Açaí

1 lata de leite condensado;
2 latas (como a de cima) de vodka;
1/2 lata de polpa de açaí;
gelo.

Modo de fazer :
Coloque todos os ingredientes no liqüidificador e bata por alguns instantes.

Batida de Amendoim

4 doses de pinga;
2 colheres (sopa) cheias de amendoim torrado e moído bem fino;
2 colheres (sopa) de leite condensado;
1 colher (sopa) cheia de creme de leite;
1 pitada de casca ralada de limão.

Modo de Fazer
Coloque todos os ingredientes no liqüidificador , misture com 3 colheres (sopa) cheias de gelo picado e bata bem. Sirva em seguida.

Batida Bela Adormecida

1 copo de geléia de abacaxi;
1 lata de leite condensado;
1 garrafa de guaraná (290 ml);
1 litro de vinho tinto Chapinha, São Guido, ou outro de mesma qualidade.

Modo de Fazer:
Bater no liqüidificador. Depois de bem batido, coloque bastante gelo para servir bem gelado.

Batida de Café

1 lata de leite condensado
2 latas de café forte frio
1 lata de cachaça

Modo de Fazer
Bater todos os ingredientes no liqüidificador, servir gelado.

Batida de Cacau

1 lata (medida) de leite condensado;
1 medida de Vodka;
1 1/2 medida de água;
2 pacotinhos de polpa de cacau (mais ou menos 1 xícara);
4 a 5 colheres de açúcar;
2 a 4 colheres de chocolate em pó;
gelo

Modo de Fazer :
Coloque todos os ingredientes no liqüidificador e bata por alguns instantes. Sirva bem gelada.

Batida de Coco

1 garrafa pequena de leite de coco;
6 doses de pinga;
2 doses de água (opcional);
1 colher (sopa) leite condensado;
2 colheres (sopa) de gelo picado

Modo de Fazer :
Coloque todos os ingredientes numa coqueteleira e bata por alguns minutos. Sirva enquanto ainda estiver com espuma.

Batida Delícia

1 litro de vinho tinto;
1 lata de leite condensado;
1 lata de creme de leite.

Modo de Fazer :
Coloque tudo no liqüidificador e bata bem. Sirva sempre gelado.

A
[ ver mensagens anteriores ]










O que é isto?
Visitante número: